SEMEADORES DA PALAVRA DE DEUS - A PORTA DE DEUS PARA A SALVAÇÃO.


 
InícioPortalRegistrar-seConectar-se

Porque, se com a tua boca confessares Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo; Romanos 10.9

http://i.imgur.com/WOeDEht.jpg
ESCOLA BÍBLICA
ORAÇÕES
Quem está conectado
33 usuários online :: 1 usuário cadastrado, Nenhum Invisível e 32 Visitantes :: 2 Motores de busca

ssbbezerra

O recorde de usuários online foi de 183 em Ter 19 Nov 2013, 18:07
Últimos assuntos
» Minuto com Deus!!!
Hoje à(s) 01:28 por Paulo Cezar

» Como eu posso buscar Deus de forma consciente?
Ontem à(s) 22:20 por Xnessax15

» É pecado o uso de camisinha ( preservativo ) nas relações sexuais?
Ontem à(s) 21:32 por Henrique

»  A FÉ VITORIOSA E A FÉ SUPERSTICIOSA Hb.11.1,2
Qua 18 Out 2017, 11:47 por guganic

» DEVOCIONAL - Temor e esperança pelo zelo de Deus
Qua 18 Out 2017, 11:20 por Henrique

» A Cura do câncer e a FOSFOETANOLAMINA SINTÉTICA.
Seg 16 Out 2017, 14:58 por Henrique

» A VERDADE QUE LIBERTA -Jo. 8.32-36-
Seg 16 Out 2017, 11:46 por guganic

»  Evangelho da Salvação x Evangelho da Solução
Dom 15 Out 2017, 09:32 por M.Rogério

» Arquivo baixado de um site e Bolsonário 2018
Sab 14 Out 2017, 14:06 por salomão

» A DOUTRINA DO DÍZIMO Pt. 2 (Hb.7.1-17) Escola Bíblica outubro de 2017 O DÍZIMO ANTES DA LEI
Sab 14 Out 2017, 07:21 por guganic

» Cristãos são expulsos de cafeteria por proprietário gay
Sex 13 Out 2017, 20:45 por Henrique

» Como é que DEUS teria permitido algo horroroso assim acontecer no dia 11 de setembro
Sex 13 Out 2017, 20:33 por Henrique

» O Peregrino – Uma Jornada para o Céu (Filme completo)
Qui 12 Out 2017, 15:49 por Paulo Cezar

» Seja como uma criança, mas não seja criança
Qua 11 Out 2017, 23:14 por Henrique

» Como crentes serão julgados?
Sab 07 Out 2017, 17:57 por B.V.

» DIVULGANDO - Acompanhe + Um Debate REENCARNAÇÃO defendida por TZARUCH
Sab 07 Out 2017, 15:14 por Henrique

» SSBBezerra - Espírita Kardecista volta ao Fórum
Sab 07 Out 2017, 10:30 por B.V.

» A DOUTRINA DO DÍZIMO Pt.1 (Ml.3.8) Escola Bíblica outubro de 2017
Sab 07 Out 2017, 01:28 por guganic

» A perversidade do homem anunciando a volta de Cristo.
Qui 05 Out 2017, 22:59 por M.Rogério

» André e Felipe - Decisão (Sony Music Live)
Qui 05 Out 2017, 02:09 por Paulo Cezar

» Site de radios gospel e outros...
Qua 04 Out 2017, 01:40 por Paulo Cezar

» ESCOLA BÍBLICA SETEMBRO/5 - GLÓRIA SOMENTE A DEUS/ OS CINCO SOLAS
Ter 03 Out 2017, 22:50 por Henrique

» Frase do dia.
Dom 01 Out 2017, 02:17 por Henrique

» VERSICULO DO DIA
Qui 28 Set 2017, 18:36 por Paulo Cezar

Navegação
______ _______ ______ ______ _______ _______ ______ _______ ______ ________
Choose Your Language
English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
BÍBLIA EM ÁUDIO

Fórum grátis

DICIONÁRIO BÍBLICO



FIQUE POR DENTRO


imprimir uma pagina


Compartilhe | 
 

 Continuação do inédito e aprofundado estudo sobre a relação entre a fé e a lei.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
salomão
. . .MEMBRO ESPECIAL
.   .   .MEMBRO ESPECIAL


RELIGIAO : cristianismo
Masculino Mensagens : 516
nascido em : 11/06/1981
inscrito em : 09/04/2013
Idade : 36
Localização : Vitória,Espirito Santo

MensagemAssunto: Continuação do inédito e aprofundado estudo sobre a relação entre a fé e a lei.   Sab 11 Maio 2013, 10:35

Alguns pontos a considerar :

1-A lei com função de tutelar- Gálatas 3:24
2-A lei tutelou até a posse da herança que seria dada no futuro -Gálatas 3:18,23
3- Os herdeiros estão debaixo da autoridade e proteção do tutor até o dia da posse da herança.

Agora entendemos alguns textos que diz :


"Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei,
Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos."

Gálatas 4:4-5

Estar sob a lei ou debaixo da lei é estar debaixo da tutela da lei até a aquisição da posse da herança .....

Este pensamento acima é perfeitamente confirmado pelas escrituras com o texto abaixo:



"Digo, pois, que todo o tempo que o herdeiro é menino em nada difere do servo, ainda que seja senhor de tudo;
Mas está debaixo de tutores e curadores até ao tempo determinado pelo pai. "

Gálatas 4:1-2

Qual foi o tempo determinado pelo pai ?


Até a vinda do descendente - Gálatas 3:19

conclusão das reflexões acima :


1 - Na antiga aliança os herdeiros ainda eram "meninos" e por isso era necessário a figura de um tutor até que a herança fosse dada como posse.

2- A escravidão não era uma imposição da lei , mas por se necessário esta sob a tutela da mesma. Assim a "escravidão " era uma necessidade e não uma exploração, visto ser os herdeiros ainda "meninos" e não ser livres ou ainda não estar preparados para receber a herança.

Assim a necessidade de Guardar a lei vigente não pode ser interpretada como querer ser escravo ...pois antes que a "lei" ganhasse o papel de tutora , 400 anos antes , já tinha alguém guardando as leis de Deus -Gênesis 26:5

Outros pensamentos na mesma direção :


A- Jesus veio nos dá a posse da herança e nos tira a tutela da lei.

B- Voltar a se submeter a tutela da lei, depois de ser libertado dela ( da tutela ), é a mesma coisa que se submeter de novo a jugo de escravidão que antes era necessária mas que depois deixou de ser necessária -Gálatas 5:1

C- O tutor não é um adversário, mas é um protetor ou guardador da herança que será dada no tempo determinado ao herdeiro.

Alguma coisa mudou na "lei" quando esta deixou de ser tutora ?

Sim ,
Todos os mandamentos relacionados com sua função de tutora foram abolidos porque só eram necessários no regime da tutela em que a lei desempenhou -Efésios 2:15 , Colossenses 2:14 .


Conclusão :

A lei não foi abolida mas deixou de ser tutora ......... Jesus não veio revogar a lei mas veio nos tira da necessidade de sermos tutelados por ela.

A lei foi anulada quando deixou de ser tutora ?

Não , pois mesmo com a posse da herança ( a fé ) a lei ainda é necessária - Romanos 3:31

Pois segundo Paulo , ele não teria conhecido pecado sem a instrução da lei -Romanos 7:7
A lei ainda continua instruindo e servindo como "placa de aviso " dizendo : " É perigoso isso e aquilo "!

Perceberam que não existe um conflito natural entre a fé e a lei ?

Deus seja louvado !
Voltar ao Topo Ir em baixo
silas gomes de souza
. . .MEMBRO ESPECIAL
.   .   .MEMBRO ESPECIAL
avatar

RELIGIAO : cristianismo
Masculino Mensagens : 1604
nascido em : 21/07/1958
inscrito em : 22/11/2012
Idade : 59
Localização : SÃO PAULO - CAPITAL

MensagemAssunto: Re: Continuação do inédito e aprofundado estudo sobre a relação entre a fé e a lei.   Sab 11 Maio 2013, 21:49



Quando estamos em nosso trabalho de testemunhar e de mostrar a Verdade aos que ainda não a conhecem, às vezes nos deparamos com pessoas que crêem, sinceramente, que a Lei de Deus foi abolida na cruz do Calvário, e muitas vezes citam textos bíblicos para tentar provar seu ponto de vista.

Vejamos três dos principais:

Gálatas 3:24-25.

De maneira que a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo, a fim de que fôssemos justificados por fé. Mas, tendo vindo a fé, já não permanecemos subordinados ao aio.

Nesta passagem, Paulo não diz que a Lei tenha sido abolida, mas afirma que, quando ainda éramos rebeldes, a Lei mostrou nossa verdadeira condição, de pecadores perdidos e sem esperança, quando estávamos subordinados ao Aio, de modo que sentíssemos necessidade de um Salvador.

Como se fosse um Aio, o Tutor de uma criança inexperiente, a Lei nos mostra que somos pecadores, que não podemos nós mesmos pagar o preço de nossos pecados, e que dependemos de Cristo para isso.
Paulo também diz que, "tendo vindo a fé", ou seja, tendo aceitado a Cristo como nosso Salvador, e crido nEle, "já não permanecemos subordinados ao aio", pois quem está perdoado e em paz com Deus não é devedor da Lei.

Efésios 2:15.

Aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz,

Aqui Paulo não fala da Lei Moral, da Lei dos Dez Mandamentos, mas explica que a separação que havia entre judeus e gentios nos tempos do Antigo Testamento, deixou de existir porque de ambos, judeus e gentios, Cristo fez um só, a saber, a Sua Igreja, da qual Ele é a cabeça.

Colossenses 2:14.

Tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz;

Paulo não diz que a Lei dos Dez Mandamentos foi abolida, mas confirma que a morte substituta de Jesus "cancelou o escrito de dívida que era contra nós, ... encravando-o na cruz".
O que foi realmente encravado na Cruz, e o texto mostra isso, o que foi encravado na Cruz não foi a Lei, mas sim a dívida de todos os pecadores arrependidos, perdoados e justificados mediante a fé em Cristo, pela Graça de Deus.

Vejamos quem era Paulo, e o que pensava sobre a Lei, antes e depois de sua conversão. Ele mesmo diz de si, antes de encontrar Jesus na estrada de Damasco, em
Filipenses 3:3-6.

Porque nós é que somos a circuncisão, nós que adoramos a Deus no Espírito, e nos gloriamos em Cristo Jesus, e não confiamos na carne. Bem que eu poderia confiar também na carne. Se qualquer outro pensa que pode confiar na carne, eu ainda mais: circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; quanto à lei, fariseu, quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na lei, irrepreensível.

Notem como ele se define, antes de encontrar a Jesus, como um judeu de linhagem pura, pertencente ao grupo que mais fielmente se esforçava para cumprir a Lei de Deus e assim ganhar a salvação, perseguidor da Igreja porque pensava que Cristo havia tentado alterar a Lei que ele tanto amava.

Vejam como depois do seu encontro com Jesus, sua opinião mudou:

Filipenses 3:7-11.

Mas o que, para mim, era lucro (a salvação pelas obras da lei), isto considerei perda por causa de Cristo. Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo e ser achado nele, não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé; para o conhecer, e o poder da sua ressurreição, e a comunhão dos seus sofrimentos, conformando-me com ele na sua morte; para, de algum modo, alcançar a ressurreição dentre os mortos.

Paulo conhecia e respeitava o texto de Isaías 42:21, que diz:
Foi do agrado do SENHOR, por amor da sua própria justiça, engrandecer a lei e fazê-la gloriosa.

Paulo entendeu que Jesus não veio abolir a Lei Moral, que é eterna, mas veio sim restabelecer seu verdadeiro sentido, perdido entre as muitas ordenanças humanas criadas pelos judeus.

Paulo entendeu que Jesus, com Sua vida imaculada, com Sua morte substituta e com Sua ressurreição, veio, como disse Isaías, por amor de Sua própria justiça, por amor da mesma justiça que nos é concedida pela fé, veio engrandecer a Lei e fazê-la gloriosa.

Vejamos o que ele nos diz em Romanos 3:10-20.

Como está escrito: Não há justo, nem um sequer, não há quem entenda, não há quem busque a Deus; todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer.

A garganta deles é sepulcro aberto; com a língua, urdem engano, veneno de víbora está nos seus lábios, a boca, eles a têm cheia de maldição e de amargura; são os seus pés velozes para derramar sangue, nos seus caminhos, há destruição e miséria; desconheceram o caminho da paz.

Não há temor de Deus diante de seus olhos.
Ora, sabemos que tudo o que a lei diz, aos que vivem na lei o diz para que se cale toda boca, e todo o mundo seja culpável perante Deus, visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado.

Paulo sabia que a Lei é necessária ao Governo de Deus, pois não pode haver governo sem leis que estabeleçam as relações entre Governante e governados, e entre os governados entre si. Por esse mesmo motivo ele continua nos versos 21 a 26:

Mas agora, sem lei, se manifestou a justiça de Deus testemunhada pela lei e pelos profetas; justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos e sobre todos os que crêem; porque não há distinção, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus.

E ele arremata (Romanos 3:31):

Anulamos, pois, a lei pela fé? Não, de maneira nenhuma! Antes, confirmamos a lei.

Segundo a reconhecida opinião do Apóstolo Paulo, a fé é quem confirma a Lei.

Quando entendemos isso, quando reconhecemos nossa condição de miseráveis pecadores, quando nos arrependemos e confessamos nossos pecados, aceitando a Jesus como nosso Salvador, então somos perdoados pela Graça de Deus, com base nos méritos de Jesus, nosso Substituto, e não somos mais devedores da Lei (embora ela ainda continue a existir), mas passamos a viver sob o domínio da Graça.

Agora pensemos juntos mais um pouco:

Paulo declara que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado, e 1ª João 3:4 confirma o mesmo conceito.

Se a Lei dos Dez Mandamentos tivesse sido abolida de fato, como se poderia saber o que é pecado?

Se não existe Lei, também não existe transgressão, e por conseqüência imediata, também não há pecado.

Se não há pecado, nunca teríamos sido pecadores, pois a Lei que define o que é pecado teria sido abolida há quase 2000 anos atrás, na morte de Jesus, muito antes do nascimento que qualquer pessoa tos tempos atuais.

Continuando,

Se não somos pecadores, então não necessitamos de arrependimento, e
Se não necessitamos de arrependimento, então também não necessitamos de Salvador.

Se não necessitamos de Salvador, a conclusão é que Cristo não teria morrido por nós, mas apenas pelos pecadores do Antigo Testamento, e as Escrituras então estariam erradas, pois dizem claramente que Ele morreu pelos pecados do mundo inteiro.

Graças a Deus porque as coisas não são assim, e uma das provas disso é a existência da morte. Em Romanos 6:23 Paulo afirma que "o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor".

A morte ainda existe em nosso mundo, porque o pecado, infelizmente, ainda faz parte da realidade deste mundo, e o pecado ainda existe porque também existe uma Lei que nos ensina a reconhecê-lo (o pecado), e nos diz que enquanto estamos em nossos pecados estamos perdidos, sem esperança, carentes de um Salvador.

Esta é a raiz do problema: quando alguém dá uma interpretação pessoal ao texto das Escrituras, distorce o seu significado e nada mais se encaixa, tudo fica confuso. Quando se tira qualquer coisa - qualquer coisa - da perfeição da Palavra de Deus, tudo o mais perde o sentido, tudo desmorona, porque nela todas as coisas se apoiam mutuamente, são interdependentes.

Se a Lei fosse abolida, com base em que Deus faria o julgamento dos infiéis?

Com base em que Deus julgaria Satanás, e como penalizá-lo por seus crimes?

Veja bem: o maior interessado na abolição da Lei é Satanás, pois isso apagaria os seus pecados sem que ele necessitasse arrepender-se deles, e o mal se perpetuaria no Universo.

Que possamos entender claramente, e lembrar sempre que a compreensão das Escrituras Sagradas depende de uma atitude pessoal humilde, de uma pessoa disposta a ser ensinada pelo Espirito Santo, que é Aquele que nos guia a toda a Verdade.

Possamos nós mostrar a todos, com toda a clareza e amor cristão, que

1. A Lei dos Dez Mandamentos é eterna, como Cristo afirmou em Mateus 5:17.

2. A Lei é necessária, entre outras coisas, para definir o que é pecado.

3. É a Lei que nos mostra que somos pecadores, e que dependemos de Cristo para ser salvos.

4. É a existência da Lei que torna a Graça de Deus necessária para nós, pois
- sem Lei não há pecado,
- sem pecado não há pecadores,
- sem pecadores o Salvador deixa de ser necessário,
- e onde não há pecadores a Graça restauradora de Deus não faz falta.

Que a partir de agora possamos compreender melhor a Lei de Deus,
- para dar-lhe o devido valor,
- e para testemunhar esse conhecimento tão importante a pessoas sinceras que ainda estão perdidas no ensino satânico de que a Lei foi abolida.
Amém.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Henrique

avatar

RELIGIAO : Cristão, denominação: Batista
Masculino Mensagens : 5274
nascido em : 27/01/1961
inscrito em : 09/09/2011
Idade : 56
Localização : São Paulo, capital

MensagemAssunto: Re: Continuação do inédito e aprofundado estudo sobre a relação entre a fé e a lei.   Seg 13 Maio 2013, 14:25

Irmão Silas Gomes, graça e paz.

Irmão esta prática de colocar outro estudo abaixo de um já postado não é saudável.

Caso tenha uma opinião diferente da do estudo deve explicar porque não concorda e não colocar outro estudo, como este da IASD, o qual também não explica muitas conclusões a chega, veja:

Citação do estudo:
Efésios 2:15.

Aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz,

Aqui Paulo não fala da Lei Moral, da Lei dos Dez Mandamentos, mas explica que a separação que havia entre judeus e gentios nos tempos do Antigo Testamento, deixou de existir porque de ambos, judeus e gentios, Cristo fez um só, a saber, a Sua Igreja, da qual Ele é a cabeça.


Em seguida a esta parte muda de assunto e não explica como chega a conclusão de que o versículo não fala dos dez mandamentos, e porque fala da "Sua Igreja", já que o versículo não faz eferência a isto.

Notou que o estudo do irmão Salomão não diz que os dez mandamentos foram abolidos? Veja:

Citação do estudo do irmão Salomão:
A lei não foi abolida mas deixou de ser tutora ......... Jesus não veio revogar a lei mas veio nos tira da necessidade de sermos tutelados por ela.

Então o estudo acertadamente não anula os dez mandamentos, mas explica que não estamos mais sob a tutela deles (da lei), não somos julgados pela lei, pois se assim fosse, ninguém se salvaria.







-







-
Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.
Salmos 119:105



Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Continuação do inédito e aprofundado estudo sobre a relação entre a fé e a lei.   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Continuação do inédito e aprofundado estudo sobre a relação entre a fé e a lei.
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Um inédito e aprofundado estudo sobre a relação entre a fé e a Lei.
» Livro ensino fundamental APROFUNDADO?Existe??
» Os nomes de Deus continuação: EL ELOIM & JEOVÁ (YHAWEH)
» igreja assembleia de deus lança cartão de crédito
» juros compostos de um cartao de credito

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
SEMEADORES DA PALAVRA DE DEUS - A PORTA DE DEUS PARA A SALVAÇÃO. :: FÓRUM ESTUDOS BÍBLICOS-
Ir para: