SEMEADORES DA PALAVRA DE DEUS - A PORTA DE DEUS PARA A SALVAÇÃO.


 
InícioPortalRegistrar-seLogin
Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. ” Gálatas 2:20
ESCOLA BÍBLICA
ORAÇÕES
Quem está conectado
16 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 16 Visitantes :: 2 Motores de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 183 em Ter 19 Nov 2013, 18:07
Últimos assuntos
» Deus é quem criou o diabo ?(mas sobre predestinação)
Ontem à(s) 23:37 por B.V.

»  Fiquei sobremodo alegre pela vinda de irmãos e pelo seu testemunho da tua verdade... DEVOCIONAL
Sex 02 Dez 2016, 09:43 por Henrique

» 30 LOUVORES QUE EDIFICAM PARA OUVIR EM 2017 - As Melhores Músicas Gospel
Qui 01 Dez 2016, 20:28 por Paulo Cezar

» Musicas Gospel para ouvir , Orar e Meditar.
Qui 01 Dez 2016, 20:27 por Paulo Cezar

» VERSICULO DO DIA
Qui 01 Dez 2016, 16:27 por Paulo Cezar

» Minuto com Deus!!!
Qui 01 Dez 2016, 09:52 por Paulo Cezar

» FILHOS NUMA TERRA DISTANTE Lc. 15.11-16
Qua 30 Nov 2016, 12:29 por guganic

» Pastora Sarah Sheeva “zera” as redes sociais com post sobre seus “10 anos sem ver aquilo maravilhoso
Qua 30 Nov 2016, 08:23 por Henrique

» Frase do dia.
Ter 29 Nov 2016, 20:32 por M.Rogério

» O mal uso da internet
Ter 29 Nov 2016, 20:27 por M.Rogério

» O Evangelho não é algo a ser pregado somente aos escolhidos, mas a TODOS os homens.
Ter 29 Nov 2016, 19:59 por M.Rogério

» Dom de línguas
Ter 29 Nov 2016, 10:37 por salomão

» ESCOLA BÍBLICA, PRIMEIRA PARTE, NOVEMBRO A VIDA, A MORTE E O DEPOIS DA MORTE DO CRISTÃO.
Ter 29 Nov 2016, 07:53 por Henrique

» Escola Bíblica, Novembro. Segunda parte. A VIDA, A MORTE E O DEPOIS DA MORTE DO CRISTÃO
Ter 29 Nov 2016, 07:51 por Henrique

» A VIDA, A MORTE E O DEPOIS DA MORTE DO CRISTÃO. Comentários
Ter 29 Nov 2016, 07:40 por Henrique

»  Escola Bíblica, Novembro. Terceira parte. A VIDA, A MORTE E O DEPOIS DA MORTE DO CRISTÃO
Ter 29 Nov 2016, 07:34 por Henrique

» A origem do dia de sábado
Sex 25 Nov 2016, 20:35 por salomão

» A VERDADEIRA LIBERDADE - Para proclamar libertação aos cativos. (Lucas 4.18) DEVOCIONAL
Sex 25 Nov 2016, 10:22 por Henrique

» O ÚNICO MANDAMENTO (Jo. 2.1-11) ... DE MARIA.
Qui 24 Nov 2016, 15:53 por guganic

» SIMEÃO E A PROFUNDA AFLIÇÃO DE MARIA Lc. 2.25-35
Qui 24 Nov 2016, 15:42 por guganic

» Evangelista Mauro Ferreira , Mensagens aos jovens
Qui 24 Nov 2016, 15:10 por elizeu crepaldi

» Que a Biblia diz sobre batismo pelos mortos.
Qua 23 Nov 2016, 21:20 por Henrique

» Papa estende a todos os padres poder de perdoar aborto
Qua 23 Nov 2016, 21:09 por Henrique

»  O ALFA E ÔMEGA: O PRINCÍPIO E O FIM. Ap.1.8.
Qua 23 Nov 2016, 11:28 por jairo nuness

Navegação
______ _______ ______ ______ _______ _______ ______ _______ ______ ________
Choose Your Language
English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
BÍBLIA EM ÁUDIO

Fórum grátis

DICIONÁRIO BÍBLICO



FIQUE POR DENTRO


imprimir uma pagina


Compartilhe | 
 

 Até Quando, Senhor?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Admim



RELIGIAO : CRISTÃO.
Masculino Mensagens : 6553
nascido em : 29/05/1958
inscrito em : 30/06/2011
Idade : 58
Localização : TAPIRATIBA SÃO PAULO.

MensagemAssunto: Até Quando, Senhor?    Seg 25 Fev 2013, 08:45

Até Quando, Senhor?

Salmo 13



Este é um salmo de Davi, que clama a Deus: “Até quando?” É o salmo de uma alma aflita, angustiada porque julga que, por algum problema muito sério, Deus Se afastou. Então, ele já está cansado de esperar e pergunta: “Até quando, Senhor?” A repetição quádrupla desta frase demonstra claramente o intenso sofrimento do escritor. Ele se sente perturbado pela aparente indiferença de Deus. Ele se sente abandonado por Deus na sua maior necessidade.




“Até quando, Senhor?” é a pergunta de almas angustiadas que sofrem e não podem vislumbrar uma perspectiva de alívio ao seu sofrimento. “Até quando, Senhor?” é a inquirição de pessoas que perderam o seu cônjuge e não encontram um novo amor com quem possam compartilhar tanta vida. “Até quando, Senhor?” é a pergunta de almas desconsoladas que não acham mais um resquício de esperança e consolo para suas aflições. “Até quando, Senhor?” é o desafio de almas perplexas, que não podem ver o tempo de Deus e a Sua fantástica resposta.



I - PERPLEXIDADE



O salmista enfrentava uma tríplice perplexidade:



1- Perplexo com Deus: “Até quando, Senhor? Esquecer-te-ás de mim para sempre?” Pode haver uma angústia maior do que esta: de julgar que Deus nos esqueceu? Que Deus nos abandonou? Que estamos condenados “para sempre” a viver sem Deus? “Sem ar, sem luz, sem razão”?, para usarmos as palavras de Castro Alves. E ele ainda completa a sua queixa, dizendo: “Até quando ocultarás de mim o rosto?”



Mas será que Deus pode Se esquecer de nós? Será que Ele nos abandona? Disse o apóstolo Paulo que não há, nem haverá, qualquer circunstância em todo o universo que nos possa separar do amor de Deus. Deus não se esquece de ninguém; não abandona a quem quer que seja. E foi o mesmo Paulo quem deu a razão: Se Deus enviou a Jesus Cristo para morrer por nós, se Ele foi capaz de fazer a coisa mais difícil, por que, depois de tudo, haveria de nos abandonar e nos esquecer à nossa própria sorte? Isso seria impossível! (Rm 8:31-39).



A verdade é bem outra: nós é que esquecemos de Deus, nós é que abandonamos a Deus, nós é que não O buscamos como a nossa prioridade máxima; escolhemos fazer a nossa própria vontade e, como conseqüência, nos encontramos em situações embaraçosas, difíceis. Muitas vezes, somos vítimas da fatalidade e jogamos a culpa em um Deus cheio de amor que já estava sabendo de tudo o que se passava conosco, e já estava tomando providências para nos ajudar.



Davi estava decepcionado com Deus, e colocou a culpa das circunstâncias que o afligiam na possível demora de Deus em tomar alguma providência salvadora. E julgou que Deus o abandonara, que se esquecera dele. Por acaso você já esteve decepcionado com Deus? Por acaso, você está fazendo as perguntas do salmista para Deus? “Senhor, por que Te esqueceste de mim? Não vês a minha angústia? Não sabes de minha aflição? Por que não posso sentir o Teu rosto perto de mim? Será que me abandonaste por causa de meus pecados?” Estes eram os sentimentos de Davi.




2- Perplexo consigo mesmo: “Até quando estarei eu relutando dentro de minha alma, com tristeza no coração cada dia?” Davi agora manifesta uma perplexidade consigo mesmo. Ele olha agora para dentro de si, e se vê em uma atitude estranha, lutando entre dois pensamentos, coxeando entre duas atitudes, relutando entre o certo e errado. O certo seria confiar em Deus e nunca desconfiar de Sua soberana vontade. O errado seria esperar que Ele agisse contrariamente à Sua sábia determinação e propósito. O certo seria esperar confiantemente, deixando as coisas acontecerem no tempo exato de Deus. O errado seria atropelar as coisas passando por alto a hora de Deus. O certo e o errado clamavam e lutavam por uma decisão sábia dentro de si mesmo.



A esperança e o desespero relutavam dentro daquele triste coração: “Se Deus me ungiu como rei de Israel, por que eu deveria passar por todas estas tribulações? O que eu fiz de errado para estar assim nesta situação aflitiva? Mas se Ele me ungiu, por que deveria estar preocupado?”



Você também está lutando e relutando com algumas coisas difíceis de resolver em sua vida? É muito duro suportar tristeza a cada dia que passa por algum sofrimento, alguma dor aguda, pela falta de um ente querido que se foi! É duro suportar a solidão porque o esposo abandonou a família, deixando a esposa e os filhos em uma profunda melancolia, perguntando-se: “Onde foi que eu errei? Até quando ficarei com essa tristeza em meu coração e com essas dúvidas que estão corroendo a minha vida e a minha felicidade?”



Por acaso você está relutando dentro de si mesmo por causa de algum problema financeiro? Algumas pessoas ficam angustiadas, fazem uma profunda análise dentro de si mesmas e perguntam: “Como posso estar nessa dificuldade toda, enquanto sou fiel a Deus nos dízimos e ofertas?” Há uma profunda tristeza, porque ficam decepcionados consigo mesmos em seu relacionamento com Deus. E podem perguntar como Davi fazia: “Até quando estarei relutando dentro de minha alma, com tristeza no coração cada dia?”




3- Perplexo com os outros. Os outros eram os seus inimigos. “Até quando se erguerá contra mim o meu inimigo?” Até quando se exaltarão os meus adversários contra mim? Será que já não chega de tanta perseguição, sem que eu tivesse culpa alguma contra eles? Até quando durará a ação do inimigo sem que se faça coisa alguma?



Se este salmo se refere ao tempo das perseguições do rei Saul, junto aos seus oficiais, caçando a alma de Davi como se fazia com animais, então, ele deve ter pensado: “Se o meu inimigo é o ungido de Deus, por que ele haveria de perseguir o outro ungido de Deus?” Esta era a sua perplexidade com o seu inimigo.



Você tem algum inimigo particular? Está perplexo com ele? Está perguntando até quando esse inimigo vai lhe perseguir e falar contra a sua alma? Então, você deve conhecer a oração de Davi, que vamos analisar agora.



II - PETIÇÃO



O salmista fez um tríplice pedido:



1- Prece por atenção: “Atenta para mim, Senhor! (v. 3). Davi suplicava de Deus atenção. Astronomicamente falando, poderíamos dizer que Ele tem tantos mundos, tantas estrelas e galáxias para os quais dar atenção que seria difícil atender a uma só pessoa em apuros tão prontamente. Mas isso não é problema para um Deus onisciente, onipresente e onipotente. Ele pode lhe dar atenção a qualquer hora do dia e a qualquer momento, e em cada segundo do dia ou da noite ou da madrugada! Muitos ainda estão em nosso mundo pedindo que Deus atente para eles. Mas você pode saber que Deus está atento para você, mesmo que muitas coisas estejam indo de mal a pior! Mesmo assim, a sua prece é necessária, a fim de ajudar a você se encontrar em comunhão com um Deus Todo-Poderoso!



2- Prece por uma resposta: “Responde-me, Deus meu! (v. 3). Davi procura uma resposta, pelo menos um indício de uma palavra de Deus, indicando a Sua aprovação e certeza de que Ele tem o controle de todas as coisas que lhe acontecem. Muitas vezes, queremos uma resposta imediata de Deus após sofrer por algum tempo algumas coisas que julgamos serem injustas. Quantas almas em nosso mundo esperam por uma resposta de Deus! Quantas pessoas estão sofrendo injustamente! Quantos estão clamando ao Senhor: “Responde-me, Deus meu!” Você também está neste rol? Continue orando e suplicando por uma resposta divina. Isso indica que você está indo na direção certa e buscando Aquele que é invisível!



3- Prece por iluminação: “Ilumina-me os olhos” (v. 3). Este é um apelo positivo entre expressões negativas. Ter os olhos iluminados significa nesse ponto serem fortalecidos para a vida. Davi tinha uma sede de viver que também pode ser encontrada facilmente em nosso instinto de preservação da vida.



O salmista vê-se constrangido a clamar a Deus, não só porque lhe é doloroso julgar-se negligenciado por Deus, mas, também, para que a morte não venha sobre si de uma forma tão inexorável como o seu próximo sono.



Mas a sua oração tinha um tríplice propósito:



1- Segurança contra a morte: “para que eu não durma o sono da morte!” (v. 3). Davi temia a morte, como todo o ser humano normal. Ele desejava viver e não estava disposto a entregar-se a uma situação que o levasse à morte, prematuramente.



Mas é interessante que ao se revelar em favor da vida, ele nos ensina o que é a morte, em poucas palavras: “o sono da morte”. Há muitas filosofias errôneas em torno da morte e, com certa razão, porque os homens não podem saber o que é a morte, sem ter passado por essa experiência.



De fato, sem a sabedoria da inspiração divina, jamais poderíamos saber o que a morte significa. Mas, felizmente, a Bíblia nos ensina, em muitos lugares, o que é a morte: a morte é um sono, a morte é comparável ao sono. Assim disse Davi por inspiração do Espírito Santo; assim disseram os profetas, assim disseram os apóstolos, e assim disse o próprio Cristo.



Quando Lázaro havia morrido, Cristo falou para os discípulos: “11: Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou para despertá-lo. 12: Disseram-lhe, pois, os discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo. 13: Jesus, porém, falara com respeito à morte de Lázaro; mas eles supunham que tivesse falado do repouso do sono. 14: Então, Jesus lhes disse claramente: Lázaro morreu.” (João 11:11-14).



Estas palavras não podem ser mal-interpretadas, estas palavras não podem ser mal-compreendidas, não podem ser torcidas, porque são claras demais para que isso aconteça. Jesus Cristo confirmou a doutrina dos profetas inspirados pelo Espírito Santo: a morte para Deus é como um sono, sem sonhos e sem pesadelos, um sono sem consciência e com a esperança de ser desfeito na manhã da ressurreição, ou para a vida ou para a condenação da morte eterna, da qual não haverá mais ressurreição.



Um pastor viajava certa vez de São Paulo para Brasília. Ao seu lado, uma senhora idosa chorava em silêncio. Quando o avião levantou vôo, ele perguntou: "Está tudo bem?" "Não," ela respondeu, "está tudo mal. Estou indo a Brasília para enterrar o meu filho que morreu ontem num aciden­te de trânsito." "Lamento muito, tudo vai passar." "Eu sei", ela respondeu. "Eu sei que a dor vai passar, mas pelo menos gostaria de ter certeza do destino do meu filho." Então, o pastor lhe deu uma resposta bíblica acerca do que acontece na morte.



Milhões de pessoas estão passando por uma grande angústia, porque não sabem onde estão os seus queridos mortos. Disse Davi que a morte é um sono. E, para confirmar essa declaração, disse o seu filho Salomão: “Os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma. [...] Amor, ódio e inveja para eles já pereceram; para sempre não têm eles parte em coisa alguma do que se faz debaixo do sol" (Eclesiastes 9:5 e 6).



A morte traz completa inconsciência, e uma esperança de ressurreição. Porque disse Cristo: “28: Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão: 29: os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo” (João 5:28-29).



Mas continuemos em nosso salmo 13. Davi está orando por segurança contra a morte. Agora, ele pede ainda por segurança.



2- Segurança contra o inimigo: “para que não diga o meu inimigo: Prevaleci contra ele” (v. 4). Era uma prece para que o inimigo de Davi não fosse triunfante sobre ele, e que não pudesse falar jactanciosamente que tinha prevalecido contra ele. Davi temia o seu inimigo e também receava da zombaria, do escárnio e do ridículo a que seria exposto, caso ele viesse a perecer nas mãos do seu principal inimigo.



Isso não parecia uma guerra em que ele pedia a vitória sobre os inimigos. Isso parecia mais uma perseguição de um poderoso inimigo que o perseguia sem que ele fosse culpado. Em outras palavras, Davi orava por libertação do seu inimigo particular. Este era um inimigo tão perverso que desejava a sua morte e ansiava o dia em que pudesse dizer: “Ele era duro de matar, mas agora, eu prevaleci contra ele.” Tudo indica que esse inimigo era o rei Saul.




3- Segurança contra o desânimo: “[para que] não se regozijem os meus adversários, vindo eu a vacilar.” (v. 4). Davi desejava também uma fortaleza contra a instabilidade emocional. Ele temia vacilar diante da notícia de que os seus adversários estivessem se regozijando diante da sua desgraça e derrota, vindo ele a vacilar e desanimar. Ele sabia que o desânimo era cruel e poderia abater a sua estrutura emocional e, conseqüentemente, a sua saúde física.



III - PERSEVERANÇA



“No tocante a mim” (v. 5). No que diz respeito a mim, de minha parte, eu farei isso e aquilo. Davi estava pensando em si mesmo, e isso era justo e necessário. Deus faz ou deixa de fazer certas coisas; o inimigo está me perseguindo; mas quanto a mim, eu tenho a minha parte a fazer, custe o que custar. Davi estava revelando um traço de perseverança inquebrantável. Ele era capaz de ver muita luz através das nuvens escuras e trevosas e perseverava corajosamente em direção da luz.



Assim também nós estamos enfrentando diariamente as investidas do nosso principal inimigo: “8: O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar; 9: resisti-lhe firmes na fé, certos de que sofrimentos iguais aos vossos estão-se cumprindo na vossa irmandade espalhada pelo mundo.” (I Pedro 5:8-9). Cada um de nós deve ser vitorioso ao seu modo particular. Cada um deve saber como vencer. Se Satanás vem contra nós, como um leão, disse Pedro que devemos ser perseverantes, resistindo firmes em nossa fé.




Davi demonstra uma tríplice perseverança:




1- Perseverança na confiança: “Confio na tua graça” (v. 5). Muitos estudiosos gostariam que Davi tivesse dito: “Confio na Tua lei”, porque assim eles teriam um forte argumento a favor do Dispensacionalismo, que prega a Dispensação da Lei no Antigo Testamento e a Dispensação da Graça no Novo. Mas, graças a Deus que não existe tal doutrina. A graça sempre existiu desde que o pecado foi introduzido no mundo.



Disse Moisés, o grande legislador que recebeu a Lei de Deus e a deu ao mundo, em seu Salmo 90: “Seja sobre nós a graça do Senhor, nosso Deus” (Salmo 90:17). Disse o próprio Davi no salmo 6:4: “Senhor, ... salva-me por Tua graça!” E agora, ele reafirma a sua perseverança em confiar na graça de Deus, ao dizer: “Confio na tua graça” (Salmo 13:5). De fato, ele pregou a salvação pela graça.



Ele também nos deu um grande exemplo de perseverança na sua confiança, não nas obras humanas, mas na graça de Deus a qual é poderosa e salvadora. Quando todos os seus inimigos estavam a ponto de matá-lo, ele confessa a sua confiança na graça de Deus, embora não estivesse visualizando nenhuma perspectiva de salvação. Quando ele se sentia abandonado e esquecido por Deus (v. 1), quando se encontrava na dúvida e desconsolo (v. 2) e quando temia o seu inimigo (2), ainda assim, ele podia dizer: “Senhor, confio na Tua graça!”



2- Perseverança na alegria: “Regozije-se o meu coração na tua salvação” (v. 5). Davi estava mesmo disposto a perseverar na alegria, embora a sua alma estivesse triste (v. 2). A primeira palavra pode ser traduzida no tempo presente, no tempo futuro ou como uma admoestação (como é o caso da versão Atualizada). De acordo com o contexto, parece mesmo que Davi faz uma admoestação para a sua própria alma. Ele se sentia triste internamente pelas suas tribulações, mas poderia se motivar por perseverar na alegria por causa da salvação em Deus.



De fato, a alegria, a felicidade e o regozijo é uma decisão, é uma escolha que cada um de nós pode fazer. Vamos encontrar muitas razões neste mundo para sermos tristes e infelizes. No entanto, também vamos achar sobejas razões para sermos alegres, jubilosos e felizes, se nós contemplarmos a salvação que nos foi providenciada por Deus em Seu Filho Jesus Cristo ao morrer na Cruz do Calvário. A nossa parte, “quanto a mim”, é escolher ser feliz, porque esta é a vontade de Deus para conosco, e este é o melhor caminho para nós enquanto aguardamos a vinda de Jesus e ajudamos a outros para que também se preparem para aquele glorioso dia.




3- Perseverança no louvor: “Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito muito bem” (v. 6). Jubilosos cantos de louvor e gratidão partiam daquele coração pronto para exaltar a Deus. Esta é a sua promessa final: sua perseverança em continuar no louvor a Deus porque, embora ele pudesse dizer que se sentia abandonado e esquecido por Deus, no fundo de sua alma havia uma esperança incansável, e uma fé inabalável que ainda podia contemplar os feitos salvadores que o Senhor lhe havia demonstrado no passado.



Com efeito, assim dizia Ellen G. White, após passar por muitas tribulações, desapontamentos e lutas: “Ao ver o que Deus tem realizado, encho-me de admiração e de confiança na liderança de Cristo. Nada temos que recear quanto ao futuro, a menos que esqueçamos a maneira em que o Senhor nos tem guiado, e os ensinos que nos ministrou no passado.” (Testemunhos Seletos, v. 3, p. 443).





CONCLUSÃO





Podemos passar por muitas lutas e perplexidades, muitas vezes desapontados com Deus, com os outros e conosco mesmos. Mas isso é apenas mais um chamado à oração e preces fervorosas, e um convite à perseverança. Não esqueça os 3 “P”s do salmo 13: Perplexidade, Petição, Perseverança. Vamos continuar confiando na graça de Deus aconteça o que acontecer; e vamos encher o nosso coração triste das mais altaneiras esperanças, “aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus.” (Tito 2:13).

http://www.iasdemfoco.net/coracao/text/0013.htm

-







-
Porque Deus amou o mundo de tal maneira,
que deu seu único Filho para que todo aquele que nele crê, não pereça,
mas tenha a vida eterna.”


(João 3:16)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://gospel-semeadores-da.forumeiros.com
jairo nuness
. . .MEMBRO ESPECIAL
.   .   .MEMBRO ESPECIAL


RELIGIAO : cristão
Masculino Mensagens : 3550
nascido em : 29/05/1958
inscrito em : 19/07/2013
Idade : 58
Localização : TAPIRATIBA SÃO PAULO.

MensagemAssunto: Re: Até Quando, Senhor?    Sab 11 Jul 2015, 19:26

.

-







-
4 - O fórum se reserva o direito de excluir ou editar qualquer conteúdo que traga prejuízo a Palavra do Senhor, ou a uma pessoa ou  entidade bem como ao próprio fórum,  como palavras inadequadas , difamatorias , ou agressivas, assuntos ou títulos inadequados ou ofensivos a qualquer entidade ou pessoa.

http://gospel-semeadores-da.forumeiros.com/t9043-regras-
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Até Quando, Senhor?
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Quilombo, calabouço de almas - Pedro / Angelina Mota Sales
» ALERTA TOTAL! Sonho Profético ...A volta do Senhor...
» Frases (evangélicas?) que não agüento mais.
» Passagens no VT que falam do Senhor Jesus Cristo...
» Uma coroa está guardada para aqueles que amarem a vinda do Senhor...

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
SEMEADORES DA PALAVRA DE DEUS - A PORTA DE DEUS PARA A SALVAÇÃO. :: FÓRUM ESTUDOS BÍBLICOS-
Ir para: