SEMEADORES DA PALAVRA DE DEUS - A PORTA DE DEUS PARA A SALVAÇÃO.


 
InícioPortalRegistrar-seLogin
Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. ” Gálatas 2:20
ESCOLA BÍBLICA
ORAÇÕES
Quem está conectado
9 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 9 Visitantes :: 1 Motor de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 183 em Ter 19 Nov 2013, 18:07
Últimos assuntos
» Deus é quem criou o diabo ?(mas sobre predestinação)
Hoje à(s) 00:07 por M.Rogério

»  Fiquei sobremodo alegre pela vinda de irmãos e pelo seu testemunho da tua verdade... DEVOCIONAL
Ontem à(s) 09:43 por Henrique

» 30 LOUVORES QUE EDIFICAM PARA OUVIR EM 2017 - As Melhores Músicas Gospel
Qui 01 Dez 2016, 20:28 por Paulo Cezar

» Musicas Gospel para ouvir , Orar e Meditar.
Qui 01 Dez 2016, 20:27 por Paulo Cezar

» VERSICULO DO DIA
Qui 01 Dez 2016, 16:27 por Paulo Cezar

» Minuto com Deus!!!
Qui 01 Dez 2016, 09:52 por Paulo Cezar

» FILHOS NUMA TERRA DISTANTE Lc. 15.11-16
Qua 30 Nov 2016, 12:29 por guganic

» Pastora Sarah Sheeva “zera” as redes sociais com post sobre seus “10 anos sem ver aquilo maravilhoso
Qua 30 Nov 2016, 08:23 por Henrique

» Frase do dia.
Ter 29 Nov 2016, 20:32 por M.Rogério

» O mal uso da internet
Ter 29 Nov 2016, 20:27 por M.Rogério

» O Evangelho não é algo a ser pregado somente aos escolhidos, mas a TODOS os homens.
Ter 29 Nov 2016, 19:59 por M.Rogério

» Dom de línguas
Ter 29 Nov 2016, 10:37 por salomão

» ESCOLA BÍBLICA, PRIMEIRA PARTE, NOVEMBRO A VIDA, A MORTE E O DEPOIS DA MORTE DO CRISTÃO.
Ter 29 Nov 2016, 07:53 por Henrique

» Escola Bíblica, Novembro. Segunda parte. A VIDA, A MORTE E O DEPOIS DA MORTE DO CRISTÃO
Ter 29 Nov 2016, 07:51 por Henrique

» A VIDA, A MORTE E O DEPOIS DA MORTE DO CRISTÃO. Comentários
Ter 29 Nov 2016, 07:40 por Henrique

»  Escola Bíblica, Novembro. Terceira parte. A VIDA, A MORTE E O DEPOIS DA MORTE DO CRISTÃO
Ter 29 Nov 2016, 07:34 por Henrique

» A origem do dia de sábado
Sex 25 Nov 2016, 20:35 por salomão

» A VERDADEIRA LIBERDADE - Para proclamar libertação aos cativos. (Lucas 4.18) DEVOCIONAL
Sex 25 Nov 2016, 10:22 por Henrique

» O ÚNICO MANDAMENTO (Jo. 2.1-11) ... DE MARIA.
Qui 24 Nov 2016, 15:53 por guganic

» SIMEÃO E A PROFUNDA AFLIÇÃO DE MARIA Lc. 2.25-35
Qui 24 Nov 2016, 15:42 por guganic

» Evangelista Mauro Ferreira , Mensagens aos jovens
Qui 24 Nov 2016, 15:10 por elizeu crepaldi

» Que a Biblia diz sobre batismo pelos mortos.
Qua 23 Nov 2016, 21:20 por Henrique

» Papa estende a todos os padres poder de perdoar aborto
Qua 23 Nov 2016, 21:09 por Henrique

»  O ALFA E ÔMEGA: O PRINCÍPIO E O FIM. Ap.1.8.
Qua 23 Nov 2016, 11:28 por jairo nuness

Navegação
______ _______ ______ ______ _______ _______ ______ _______ ______ ________
Choose Your Language
English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
BÍBLIA EM ÁUDIO

Fórum grátis

DICIONÁRIO BÍBLICO



FIQUE POR DENTRO


imprimir uma pagina


Compartilhe | 
 

 O LIVRINHO (As falsas doutrinas e o evangelho da graça)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Alberto.
. . .MEMBRO ESPECIAL
.   .   .MEMBRO ESPECIAL


Masculino Mensagens : 2
nascido em : 31/08/1957
inscrito em : 16/02/2012
Idade : 59
Localização : Fortaleza - Ceará - Brasil

MensagemAssunto: O LIVRINHO (As falsas doutrinas e o evangelho da graça)   Ter 29 Maio 2012, 00:45

O LIVRINHO
(As falsas doutrinas e o evangelho da graça)

Palavra do autor............................................................................... 2
A tentação de Satanás.................................................................... 2
O chamado....................................................................................... 3
Sinal de alerta.................................................................................. 5
O banco e a disciplina na igreja de Jesus......................................... 7
A proibição da santa ceia................................................................. 9
As duas alianças e o dízimo no cristianismo....................................................................................... 9
A guarda do sábado e a graça de Deus............................................ 13
A proibição do uso da bermuda pelo crente..................................... 14
A proibição do uso da barba na igreja............................................. 15
Denúncia.......................................................................................... 16
A abominação está onde não deveria está...................................... 16

Palavra do autor

Alberto, servo do Senhor Jesus Cristo, pela vontade de Deus Pai, chamado para sacerdote da Nova Aliança para defesa do Evangelho Eterno, segundo as suas misericórdias, aos irmãos, chamados queridos em Deus Pai e guardados em Jesus Cristo. Paz e graça da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo nosso Salvador.
Quero irmãos, que entendais as minhas palavras em Cristo Jesus, pois o propósito do que vos escrevo hoje, não é confundir vossas mentes, mas dar segurança aos vossos corações a respeito da grande salvação do Senhor Jesus através do evangelho da sua graça. Por isso busquei de todas as formas traduzir tudo o que o Espírito Santo me instruiu, e transferir-lhes da forma mais simples possível para facilitar o vosso entendimento para serdes fortalecidos e não vos deixar levar por qualquer vento de doutrina. Porque o Senhor tem tido misericórdia de sua igreja e tem visto a forma com que os homens a tem tratado: Por ignorância ou por maldade têm permitido que Satanás entre nas regiões celestiais que lhes foram confiadas.
“Ai daqueles que detém a verdade pela injustiça.”

A tentação de Satanás

Irmãos, a cerca de onze anos, era então eu pregador da palavra de Deus numa congregação evangélica, quando me veio uma tentação pessoal de Satanás. Foi assim que me veio à tentação:
Estava eu sentado na área da minha residência onde resido até o dia de hoje, por volta das oito horas da manhã contando umas moedas que estavam sobre uma mesa, quando chegou ao portão um homem com aparência de mendigo e disse: Me dá uma esmola! Como eu era pregador da palavra de Deus, achei ser uma oportunidade de falar de Jesus, então mandei que entrasse e sentasse numa das cadeiras que estava em volta da mesa que eu estava sentado. Ele entrou e assentou-se comigo à mesa. Estava comigo na ocasião minha filha de nome Juliana. Comecei então a falar da salvação, do evangelho e dos profetas. Como me aprofundava nas escrituras, percebi que ele entendia tudo o que eu falava. Quando de repente irritado disse ele em tom de deboche: Tu só sabe falar de Jesus, Jesus, não tem outra coisa que falar não? Como vi que ele não aceitava a Palavra, antes havia se irritado com ela e escarnecido do nome de Jesus, então me aborreci e disse: Aqui do meu lado tem uma igreja evangélica onde você pode seguir a Deus e aqui do outro lado tem um terreiro de macumba onde podes servir ao Diabo, decide, pois, qual o lado que queres ir. Então ele disse: Eu não preciso.
Então pela atitude demonstrada por ele como quem conhecia a palavra das Escrituras, lhe perguntei: Vem cá, tu és desviado, não é? Porém ele me respondeu: Não, não sou desviado, eu sou enviado! Não tem os enviados! Não é?
Então o Senhor, em segundos me revelara que se tratava de Satanás, o chefe dos demônios, que estava diante de mim; Líder daqueles que eu mesmo estava acostumado a expulsar das pessoas na igreja. Naquele momento estremeci, por causa do impacto da informação. Ele então em voz alta prosseguiu: E tu precisa de mim. Pelo que lhe respondi: Preciso não. Ele então com as pontas dos dedos tocou nas moedas que estavam encima da mesa as quais eu contava antes de sua chegada, e disse: Tu vive sem isto? Então lhe respondi: Eu vivo sim. Então ele disse: Está escrito, dá a César o que é de César. Quem é César? O que lhe respondi: É o governo terreno. E continuei: Se tu és enviado, então tu me conheces. Ele então respondeu: Agora conheço. Naquele momento tive desejo de mandá-lo embora, visto que nada proveitoso seria continuar com aquele diálogo; Mas, antes que abrisse a minha boca para expulsá-lo, rapidamente ele levantou-se da cadeira e dirigiu-se até o portão da garagem por onde havia entrado. Já no portão, em voz alta disse: Mas tu tem medo de mim. Pelo que lhe respondi: Tenho não, porque comigo tem Um que é maior do que tu. Então disse ele: Quem? Jesus? Está morto. Então lhe respondi em voz alta: Não, Ele está vivo. Saindo ele do portão, e já no asfalto defronte a minha casa, gritando disse-me: Jesus nunca brigou comigo. O que lhe respondi: Sei disso, por isso também não briguei contigo.
Mais uma vez, veio ele para o portão de entrada de pessoas, o mesmo que ele utilizara para pedir a esmola antes de eu mandar que entrasse pelo portão da garagem, e então disse: Mas tu não me deu o que eu ti pedi. Então lhe perguntei o nome do mendigo que ele estava usando o corpo. O que ele me respondeu: É Antonio. Então eu disse: Para o Antonio eu dou a esmola, quer? Ele respondeu: Não. E foi embora.
Este fato ocorreu por volta do ano mil novecentos e noventa e sete, na minha residência em Messejana, na grande Fortaleza no Estado do Ceará, tendo como testemunha ocular eu Alberto e Juliana minha filha da carne e do Espírito.
Este relato eu o escrevi para proveito vosso, os que estão em Cristo Jesus, para que saibais que não prego o Evangelho de Cristo por inveja ou vaidade, mas porque de antemão fui pelo Senhor escolhido para este fim. Por isso o Senhor permitiu que eu fosse tentado por Satanás pessoalmente para conhecer mais profundamente sua astúcia e contra que eu estaria lutando.
Que o Senhor vos livre de todo o mal. Amém.

O chamado

Amados Irmãos em Cristo Jesus, a cerca de quatro anos, fui eu alcançado pelo Senhor e chamado para trabalhar na sua seara, o Senhor deu-me graça e fui constituído pregador da sua palavra, não pela vontade de homens, mas pela vontade soberana de Deus.
Aos vinte e cinco dias do mês de dezembro do ano dois mil, à noite, estava eu sentado sozinho em uma cadeira na cozinha da minha residência situada em Messejana na cidade de Fortaleza estado do Ceará, examinando as Santas Escrituras. Quando me veio um desentendimento nos meus pensamentos, pelo que não podia mais entender a respeito do que lia, como que se o Senhor tivesse se afastado de mim. Senti-me só, e veio angústia sobre minha alma, pelo que fui ao meu quarto, ajoelhei-me com os braços sobre minha cama, e orei ao Senhor pedindo-lhe misericórdia e explicação a respeito daquilo que estava acontecendo comigo. Pois como poderia continuar a pregar a palavra de Deus se já não entendia nada do que lia? Pensei comigo mesmo. Então me deitei na minha cama e aquietei-me.
Ao fechar os meus olhos foi me dada uma visão da parte de Deus. Assim era a visão que me foi dada: Estava eu em pé num galpão, destes que as empresas transportadoras usam para carga e descarga de mercadorias. À cerca de meio metro na minha frente estavam duas mesas pequenas, de um metro quadrado cada, avaliei; E no mesmo alinhamento. As mesas tinham a aparência destas de feirantes e elas estavam separadas uma da outra a uma distância de aproximadamente quarenta centímetros. Sobre as duas mesas havia muitos livros fechados de vários tamanhos e empilhados uns sobre os outros desordenadamente como que formando uma pequena montanha sobre uma e outra mesa, sendo que a quantidade de livros existente na mesa da esquerda era maior do que a da direita. Na mesa que estava à direita, no canto que estava mais perto de mim, estava um livro maior do que os demais, e este estava aberto, mas encontrava-se virado com as letras para baixo e o lado das costas para cima.
Estava contemplando estas coisas, quando percebi atrás de mim uma parede e nela uma janela e na janela certo homem que estendeu a sua mão para mim e disse-me: Traga-me um TD. Aqui termina a minha visão.
Após a visão, ao abrir os meus olhos senti-me um pouco mais aliviado da minha angústia. Pois a minha oração tinha sido ouvida e em parte respondida, mas ainda não me sentia contente, pois até ali o que me fora dado a entender da visão pelo Espírito, era a respeito do livro maior que estava aberto no canto da mesa, mas que estava com as letras viradas para baixo e as costas dele para cima. Tratava-se da minha bíblia que de fato estava aberta na mesa, mas as mensagens estavam ocultas para mim, assim como estão para aqueles que não têm entendimento de Deus. Por isso mais uma vez orei ao Senhor pedindo a interpretação da visão e o que deveria eu fazer para que voltasse o meu entendimento. Então me veio discernimento e entendi que o TD que se me havia pedido era um trabalho dirigido, então continuei orando ao Senhor e disse: Senhor já que é um trabalho dirigido, peço-te que seja dirigido por ti e assim farei segundo o teu direcionamento.
Terminando de orar foi me dada à interpretação de toda a visão e o que deveria eu fazer. Esta é a interpretação da minha visão: As duas mesas que vi alinhadas como mesa de feirantes com as duas pilhas de livros sobre elas, é o mercado de livros extraídos das Sagradas Escrituras; Os livros que estavam empilhados em forma de montanha que estavam sobre a mesa da esquerda em quantidade maior do que dos da direita, significa a quantidade extremamente maior de livros evangélicos que não tem valor algum para a vida, mas apenas são feitos para servir aos interesses comerciais; Os livros que estavam na mesa da direita em menor número representam a pequena quantidade de livros que tem alguma instrução pelo Espírito e são aproveitáveis; O livro maior já me havia sido interpretado que era a minha bíblia; O certo homem que me pedia o TD é o Bispo de nossas almas, o meu Senhor Jesus; O fato de antes da visão eu ter faltado todo o meu entendimento, o Senhor mostrou-me o poder que Deus tem de tirar a visão espiritual dos homens e de colocá-los na operação do erro. Como está escrito: Por isso Deus lhes envia a operação do erro, para que creiam na mentira, e para que sejam julgados todos os que não creram na verdade, antes tiveram prazer na iniqüidade; (2Ts. 2: 11-12) O TD que o Senhor me pediu, é o trabalho dirigido para sua igreja. Trata-se de mostrar aos servos do Senhor as doutrinas ou ensinamentos perversos que Satanás colocou dentro das congregações a fim de desviar o povo de Deus da sua doutrina e levá-los à perdição.
Eu, Alberto, sou quem teve esta visão aos vinte e cinco dias do mês de dezembro do ano dois mil, e não sendo rebelde ao pedido do Senhor, hoje escrevo aos seus servos a respeito das doutrinas falsas que foram introduzidas na sua igreja, para que sejam lançadas fora, e restituído o evangelho da sua graça.
“Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.” (Jo. 8: 32).

Sinal de alerta
(A avareza é idolatria)

Meus irmãos, já por muitas vezes temos pregado, exortando a muitos, para que deixem as suas idolatrias e parem de seguir os ídolos mudos os quais são feitos de gesso, pau, pedra, louça e outros materiais, os quais não podem salvar, e os seus seguidores já têm por certo a sua condenação. (Ap. 21:Cool Mas enquanto estamos lutando para resgatar almas perdidas, Satanás, o inimigo de vossas almas, trabalha dia e noite para desviar da doutrina de Cristo as almas inconstantes que vão aos templos religiosos.
Aproveitando a ignorância espiritual de muitos, por não haverem deixado o amor ao bem terreno (ganância), antes de iniciarem seus ministérios; Satanás conseguiu introduzir encobertamente, dentro de grande parte das congregações, o pecado da idolatria, não de forma visível (imagem de escultura), mas de forma invisível ao olho humano (avareza), que só é possível ser visto fazendo-se como está escrito: Comparando as coisas espirituais com as espirituais. (1Co. 2: 13)
Certo dia um homem da multidão pedia a Jesus que interviesse a seu favor a respeito de uma herança, dizendo: Mestre dize a meu irmão que reparta comigo a herança, (Lc. 12: 13) mas, Jesus lhe respondendo disse: homem quem me pôs a mim por juiz ou repartidor entre vós? (Lc. 12: 14) então Jesus lhes disse: acautelai-vos e guardai-vos da avareza, a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui. (Lc. 12: 15)
Na carta de Paulo, apóstolo de Cristo Jesus, aos Efésios, ele escreveu: pois bem sabeis isto: nenhum devasso, ou impuro, ou avarento o qual é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus. Ninguém vos engane com palavras vãs, pois por estas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Portanto não sejais participantes com eles. (Ef. 5:5-7)
Irmãos, assim como na explicação da parábola do trigo e do joio (Mt. 13: 37-43), o Filho do homem semeou a boa semente, que são os filhos do reino; mas enquanto os homens dormiam, veio o seu inimigo e semeou o joio, que são os filhos do maligno; no campo, que é o mundo; da mesma forma, nestes dias que se aproximam da consumação dos séculos, nos templos religiosos, Satanás conseguiu semear a sua semente. E hoje, o que deveria ser casa de oração para todas as nações, como quer o Senhor, Foram transformados em templos idólatras, onde muitos, movidos pelas suas paixões carnais (concupiscências), vão em busca dos seus próprios interesses terrenos, ao invés de buscar o conhecimento de Deus, o seu reino e sua justiça, e adorá-lo em espírito e em verdade. Grande parte dos pedidos é de um carro, uma casa, um emprego, um vestuário, um cônjuge, uma boa alimentação ou coisas semelhantes a estas. Porque assim são instruídos ao erro por seus líderes, os quais deixando o caminho de Cristo tornaram-se oposição a Ele, abandonando a doutrina que é segundo a piedade por outra que é segundo a prosperidade terrena, contra a palavra que diz: Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são da terra; (Cl. 3:1-2). Estes, já têm por certo a perdição, como o apóstolo Paulo escreveu em sua carta aos filipenses: O seu fim é a perdição, o seu Deus é o ventre, e a sua glória é a vergonha. Só pensam nas coisas terrenas. (Fp. 3: 19)
O apóstolo Paulo em sua carta aos coríntios, relembrando a história de Israel como exemplo, diz: não vos façais idólatras, como alguns deles; como está escrito: O Povo assentou-se a comer e a beber, e levantou-se para folgar. (1Co. 10: 7) Na mesma carta aconselha, dizendo: ninguém busque o proveito próprio, antes cada um o que é de outrem. (1Co. 10: 24) Ainda quando fala sobre o amor, diz: não busca os seus próprios interesses. (1Co. 13: 5)
Um dia Jesus ensinando a respeito da ansiedade disse: portanto não andeis ansiosos, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Pois os gentios procuram todas estas coisas. De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas elas. Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. (Mt. 6: 31-33)
Irmãos meus, com muitos argumentos e utilizando-se das próprias Escrituras, Satanás astutamente busca mascarar ou até anular os ensinamentos do Senhor, e para isto, utiliza-se de homens corruptos de entendimento e privados da Verdade, e na boca destes coloca o seu discurso para enganar a muitos e impedir que entrem no reino de Cristo e de Deus. Frases como: - “tu és filho do dono do ouro e da prata”, ou – “Jesus veio para que tenha vida e a tenha em abundância”, são constantemente utilizadas pelos inimigos da cruz de Cristo para torcer as Santas Escrituras e colocar nos corações de muitos o pecado da avareza que é idolatria, para que estes sejam condenados. Que o Senhor é o dono do ouro e dono da prata é verdade (Ag. 2: Cool, contudo o Senhor nunca instruiu a seus servos que buscassem estas coisas, pois Salomão filho de Davi, rei de Israel, homem a quem Deus deu muitas riquezas e glória, não as conseguiu pedindo ao Senhor, mas sim porque não pediu; Como está escrito: Visto que pediste esta coisa, e não pediste para ti muitos dias, nem riquezas, nem a vida de teus inimigos, mas pediste entendimento, para discernires o que é justo, farei segundo as tuas palavras. Dar-te-ei um coração tão sábio e entendido, que antes de ti igual não houve e depois de ti igual não se levantará. Também até o que não pediste te darei, assim riquezas como glória, para que não haja teu igual entre os reis, durante todos os teus dias. (1Rs. 3: 11-13)
Verdade é que Jesus veio para que tivéssemos vida e a tivéssemos em abundância (Jo. 10: 10), contudo, a abundância de vida não consiste na abundância de bens terrenos, como disse o Senhor: acautelai-vos e guardai-vos da avareza; a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui. (Lc. 12: 15) Pois uma pessoa pode possuir bens em abundância e não ter vida em abundância, que é a vida eterna.
Na parábola do jovem rico está escrito: Disse-lhe Jesus: se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu. Então vem, e segue-me. O jovem, ouvindo esta palavra, retirou-se triste porque possuía muitas propriedades. (Mt. 19: 21-22)
Assim como na parábola do jovem rico; que rejeitou a proposta de seguir ao Senhor e ser perfeito porque possuía muitas propriedades e sua vida estava preza a elas, da mesma forma, Satanás, através dos falsos mestres e sua doutrina da prosperidade, busca prender os homens aos bens terrenos para afastá-los da promessa do Senhor e induzi-los a rejeitar o tesouro do céu. Mas para alertá-los a este respeito diz o apóstolo: Se alguém ensina outra doutrina, e não se conforma com as sãs palavras do nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, é soberbo e nada sabe, mas delira a cerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruim suspeitas, contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade é fonte de lucro. De fato, é grande fonte de lucro a piedade com o contentamento. Porque nada trouxemos para este mundo, e nada podemos levar dele; tendo, porém, sustento e com que nos vestir, estejamos contentes. Mas os que querem ficar ricos caem em tentação e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, as quais submergem os homens na ruína e perdição. Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores (1Tm. 6: 3-10).
Tu, porém, irmão, que crê no Senhor e temes a Deus, cuida-te para não caíres nas mãos dos falsos mestres, pois esses pregam a busca de bens terrenos ao invés dos celestiais, às coisas que são da terra ao invés das que são de cima; E sejas tu também contado com os filhos da desobediência. Pois diz as Escrituras: Portanto, se fostes ressuscitados com Cristo, buscais as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra. (Cl. 3:1-2) Amados, a respeito das coisas que necessitais para esta vida, Deus é fiel para acrescentar todas elas, a todos os que buscarem primeiro seu reino e sua justiça.

O banco e a disciplina na igreja de Jesus

Amados irmãos, dentre as muitas doutrinas que Satanás conseguiu implantar dentro da igreja de Deus, para dificultar o caminho da salvação para aqueles que foram chamados pelo Senhor, é o que dentre as religiões evangélicas se chama de banco. É uma disciplina criada pelos homens e que tem sido transferida de geração em geração através de líderes, que se achando deuses, acharam que poderiam criar suas próprias doutrinas e implantá-la sobre o povo de Deus sem que fossem punidos por isso. Mas Deus requererá o sangue de cada alma perdida pela aplicação destes artifícios na sua igreja.
O banco consiste no afastamento do irmão que tenha cometido algum tipo de pecado ou insubordinação. O irmão transgressor é punido com o afastamento das atividades da igreja, por um tempo determinado. Durante este tempo pré-estabelecido que ele esteja sob “disciplina”, por exemplo, ele não pode participar da cerimônia da santa ceia; mas deve continuar indo aos cultos normalmente, como ordenança da igreja, não se desviando desta. Ora, isto torna o disciplinado num “mais ou menos” irmão em Cristo, um “meio participante do corpo de Cristo”, visto que continua congregado, mas não participa das atividades da igreja, o que não é permitido pelo Senhor. Pois disse Ele: Quem não é por mim, é contra mim, (Mt. 12: 30) logo para o Senhor não há meio termo.
O líder da congregação é a pessoa que define o tempo que deve durar a “disciplina” da pessoa que cometeu o delito, e isto pela sua própria determinação sem consultar ao Senhor. Os tais líderes, nisto servem ao propósito de Satanás, e não podem ouvir a voz de nosso Deus, porque são homens mentirosos, e não podem ouvir a voz da verdade. Quanto ao tempo de duração dessa “disciplina” varia de acordo com a gravidade do pecado cometido. Ao término do tempo estipulado, aquele que foi punido volta a participar das atividades como antes, quer tenha se arrependido ou não, pois para os tais líderes importa que o crente lhe obedeça, não importando a doutrina do Senhor.
O problema da aplicação dessa “disciplina” é que ela está cheia de brecha para ação de Satanás, permitindo que um de seus servos (de Satanás) fique infiltrado dentro da congregação, causando a destruição da harmonia do corpo, como câncer.
Vamos aqui citar um fato verídico de um acontecido numa dessas congregações e que veio ao meu conhecimento.
O membro de uma congregação evangélica se dispôs a cometer um ato de adultério, o que é condenável na igreja dos santos. Sabendo ele que a punição estipulada pela igreja para este pecado era de três meses de banco, então praticou o pecado, foi punido com a disciplina, mas continuou como membro da igreja sem que tenha se arrependido do seu mal, escandalizando vários irmãos que sabiam do seu proceder. Uma pessoa com essa índole poderia calcular cada pecado que iria cometer e continuar na igreja, contaminando todo o resto do corpo de Cristo reunido naquele lugar, por inobservância do líder, na instrução que adverte: Não sabeis que um pouco de fermento leveda toda a massa? (1Co. 5: 6)
Portanto a aplicação dessa “disciplina” gera impunidade. Mas o Senhor, ao culpado não tem por inocente. (Ex. 34:7)
Vamos supor que um membro tenha cometido o mesmo pecado, mas que neste caso, ele não tenha premeditado, como no caso citado anteriormente, mas ao invés disso, após o delito tenha se arrependido amargamente e pedido perdão ao Senhor e àqueles da congregação que tenham tomado conhecimento do fato. Ora, essa “disciplina sendo lei na congregação”, será aplicada independentemente de o pecador ter se arrependido ou não, logo essa “disciplina” gera injustiça, mas o Senhor é justo (At. 3: 14).
Portanto aqueles que adotam essa “disciplina” na congregação do Senhor são condutores cegos, mas, diz o Senhor: Se um cego guiar outro cego ambos cairão na cova. (Mt. 15: 14) Não leram, o que diz o Senhor na parábola da ovelha perdida? Onde Ele diz: haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento? (Lc. 15:7) Também não leram o que escreveu o apóstolo de Jesus Cristo e mestre dos gentios na sua carta a Tito, onde ele diz que o pleno conhecimento da verdade é segundo a piedade? (Tt. 1.1) Também não leram o que o Senhor respondeu aos fariseus que o criticava, por Ele sentar-se à mesa junto com pecadores na casa de Mateus? Onde Ele diz: Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifícios? (Mt. 9: 13) Certamente que leram, mas lhe falta o Espírito da graça de Deus para entenderem estas coisas. Porque fazem parte do número daqueles que o apóstolo Paulo exortava a Timóteo que se afastasse. (2Tm. 3: 1-9) Porque aprendem sempre, mas nunca podem chegar ao conhecimento da verdade. (2Tm. 3: 7)
Mas a disciplina da sã doutrina é esta que ensina o Senhor: Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só. Se te ouvir, ganhaste a teu irmão. Mas se não te ouvir, leva contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra seja confirmada. E, se não as ouvir, dize-o à igreja; e se também não ouvir a igreja, considera-o como gentio e cobrador de impostos. Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra, será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra, será desligado no céu. (Mt. 18: 15-18)
Tu, porém irmão que temes a Deus e tem como salvador Jesus Cristo, o Justo, guarda-te de aplicar ensinamentos perversos àqueles que estão fugindo da matança, e dedica-te a aplicar a doutrina de Jesus e dos seus santos apóstolos, pois dito está: O negligente na sua obra é irmão do destruidor. (Pv. 18: 9).

A proibição da santa ceia

O fato de alguém ser proibido de cear na igreja de Deus constitui-se numa transgressão contra o evangelho de Cristo, por parte daquele que proibiu; Não importando o motivo da proibição; Pois o próprio Judas Iscariotes, homem maligno, ladrão, (Jo. 12:6) amante do dinheiro, (Mt. 26: 14-15) traidor, (Mt. 26: 46-47) nem a este, Jesus proibiu de cear com Ele, pelo contrário, o próprio Jesus lhe serviu a ceia. (Jo. 13: 26)
Na carta do apóstolo Paulo à igreja de Deus que estava em Corinto, dando instrução a respeito da santa ceia do Senhor, diz: Examine-se o homem a si mesmo antes de comer deste pão e beber deste cálice. (1Co. 11: 28) Nunca as Santas Escrituras instruíram a alguém a examinar o seu próximo se este deveria cear ou não. Estes homens que praticam estas obras na igreja de Deus são homens ímpios privados da verdade. Pois o próprio Jesus, disse: Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz. (Jo. 18: 37)

As duas alianças e o dízimo no cristianismo

Amados irmãos, é pela vontade do Senhor e instrução do seu Espírito que hoje vos escrevo para vos inteirar da verdade a respeito das alianças de Deus e do dízimo.
A lei que regia o sacerdócio Levítico, que era o sacerdócio da antiga aliança, difere da lei do sacerdócio de Jesus Cristo, que é o sacerdócio da Nova Aliança. Como está escrito: Pois mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança de lei. (Hb. 7: 12)
A antiga aliança foi dada somente aos filhos de Israel, e não a todas as nações, pois assim falou o Senhor a Moisés no monte Sinai: Assim falarás à casa de Jacó, e anunciarás aos filhos de Israel: Vistes o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim. Agora, se diligentemente ouvirdes a minha voz, e guardardes a minha aliança, sereis a minha propriedade particular dentre todos os povos. Embora toda a terra seja minha, vós me sereis reino sacerdotal e nação santa. São estas as palavras que falarás aos filhos de Israel (Êx. 19: 3-6). Isto fica mais evidente nas palavras que Moisés comunicou aos filhos de Israel quando saiu do Egito, na terra de Seom, rei dos amorreus dizendo: O Senhor vosso Deus fez aliança conosco em Horebe. Não foi com nossos pais que o Senhor fez esta aliança, mas, conosco, todos os que hoje aqui estamos vivos (Dt. 5:2-3).
A Nova Aliança foi dada a todo aquele que crê de toda a terra. Como Paulo declara em seu discurso em Antioquia da Pisídia: Pois assim nos ordenou o Senhor: Eu te pus para luz dos gentios, a fim de que sejas para salvação até os confins da terra (At. 13: 47). E em romanos diz: Não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. (Rm. 1: 16)
O ministério da antiga aliança também é chamado de: ministério da morte e da condenação, e o ministério da nova aliança de: ministério do Espírito e da justiça. (2co. 3:7-9)
O sacerdócio da antiga aliança foi dado aos filhos de Israel através da tribo de Levi, o da nova aliança, de onde procedeu o nosso Senhor Jesus Cristo, da tribo de Judá. (Hb. 7: 11-17) Logo aquele que pertence a uma aliança. não deve pertencer à outra.
Irmãos, no sacerdócio da antiga aliança, o sacerdote tinha ordem de tomar o dízimo de seus irmãos, como diz as Escrituras: E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que estes tenham saído dos lombos de Abraão. (Hb. 7:5). Esta palavra: ainda que estes tenham saído dos lombos de Abraão, é porque os filhos Abraão são os da fé (Gl. 3:7), e Abrão não estava sob ordenança alguma quando deu o dízimo de todos os bens que tinha tomado na matança dos reis, mas o fez espontaneamente pela lei do seu próprio coração a Melquisedeque, sacerdote do Deus Altíssimo quando este o abençoou. (Gn. 14: 18-24)
Irmãos, o livro do profeta Malaquias, de onde grande parte dos líderes evangélicos extrai a ordenança do dízimo e impõem aos que são do Senhor, foi direcionado à nação de Israel e não aos Cristãos, como diz a Escritura: Um oráculo: A palavra do Senhor a Israel, por intermédio de Malaquias. (Ml. 1: 1). As exortações constantes neste livro eram válidas para o povo de Israel que estava debaixo da lei de Moisés, cujo sacerdócio era exercido pela tribo de Levi e não o \sacerdócio de Cristo Jesus que é da tribo de Judá, como está escrito: Então saberei que eu vos enviei este mandamento, para que a minha aliança seja com Levi, diz o Senhor dos Exército. (Ml. 2: 4) E mais uma vez diz: Eu, o Senhor, não mudo. Por isso vós, ò filhos de Jacó, não sois consumidos. (Ml: 3: 6). E para mostrar que a promessa de abrir as janelas do céu e derramar bênçãos, mediante ao pagamento do dízimo era somente para a nação de Israel (Ml. 3: 10), excluindo assim as outras nações, diz Ele: Então todas as nações vos chamarão bem-aventurados, porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o Senhor dos Exércitos. (Ml: 3: 12).
Amados irmãos, por falta de instrução do Espírito da Graça de Deus, muitos dos que são chamados para a salvação que está em Cristo Jesus, ainda não estão libertos do pecado da avareza, devido a serem instruídos segundo a lei, que pagando o dízimo, Deus derramaria as bênçãos materiais; O que era uma verdade para os isrearitas, que estavam debaixo da maldição da lei, mas não para os Cristãos que foram chamados pela Graça do Senhor. Porque para, os Cristãos, o Senhor ensina que não se deve andar preocupado com bênçãos terrenas, pois estas, Deus as acrescenta gratuitamente a todo aquele que buscar o seu reino e a sua justiça, quando diz: Mas buscai primeiro seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. (Mt. 6: 31-33).
Amados, o dízimo foi um imposto cobrado dos filhos de Israel por ordenança do Senhor, cujo objetivo da cobrança era custear os serviços da casa de Deus nos dias do sacerdócio de Levi, que era segundo a lei. Após a morte de Moisés esse tributo continuou sendo cobrado pelos Líderes de Israel (2 Cr. 24: 4-6 e 8-9), (Ml. 3: 10) até o tempo da reforma, isto é, até a vinda de Jesus Cristo, o Filho de Deus. O que estamos dizendo, é que o dízimo foi uma ordenança dada aos filhos de Israel, e somente quem tinha ordem de tomá-lo de seus irmãos eram os que recebiam o sacerdócio, e só quem podia exercer o sacerdócio eram os escolhidos da tribo de Levi, e nenhuma outra tribo poderia exercer esse direito. (Nm. 18: 1-Cool. Como nós, os cristãos, Deus nos chamou para uma nova aliança e uma nova esperança através do sacerdócio de Jesus da tribo de Judá, seremos contados como adúlteros espirituais diante de Deus, se formos convencidos a pertencer à antiga aliança, tomando dízimos de nossos irmãos por ordenança da lei, assim como foi no sacerdócio de Levi; Pois assim disse o Senhor por figura: Qualquer que deixa sua mulher e casa com outra, adultera, e aquele que casa com a repudiada pelo marido adultera também. (Lc. 16: 18). Ora, quem é a repudiada pelo marido se não a aliança da lei e dos profetas? E quem é o marido, senão Cristo? Que encerrou a antiga aliança na cruz do Calvário, cumprindo toda a lei dos mandamentos? Para que fosse estabelecido o seu reino de justiça? Como disse ao entrar no mundo: Sacrifício e oferta não quiseste, mas corpo me preparaste; não de deleitaste em holocaustos e oblações pelo pecado. Aqui estou, para fazer, ò Deus, a tua vontade. Tira o primeiro para estabelecer o segundo. (Hb. 10: 5-9).
No desconhecimento da doutrina de Cristo, alguns irmãos chegam a exibir-se publicamente, achando-se justificados diante de Deus porque são fieis dizimistas, e chegam a exortar a outros que façam como eles. Mas os escribas e fariseus eram fieis dizimistas, e o Senhor Jesus apoiou que o fossem, porque naqueles dias a lei estava em vigor, contudo foram chamados de hipócritas, porque guardavam apenas parte da lei, como está escrito: Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas negligenciais o mais importante da lei, a justiça, a misericórdia e a fé. Devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas. (Mt. 23: 23). Portanto, o dízimo cumpre apenas uma das ordenanças da lei de Moisés, e parte da justiça que é desta mesma lei, mas assim diz o Senhor: Se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus. (Mt. 5: 20)
O dízimo não nos pertence, (Hb. 7:5) como também não nos pertence todas as outras ordenanças da lei de Moisés, as quais foram abolidas na nova aliança, como diz Paulo, Apóstolo do Senhor, na sua carta aos colossenses: E a vós outros que estáveis mortos nos vossos pecados e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-nos todos os nossos delitos, havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, tirou-o do meio de nós, cravando-o na cruz. (Cl. 2: 13-14)
Portanto, todo aquele que se fizer descendente de Levi, tomando dízimos de seus irmãos, por ordenança da lei, está sob a maldição da lei. Pois o Apóstolo Paulo na sua carta aos gálatas diz: Todos aqueles que são das obras da lei estão debaixo da maldição, pois está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las. (Gl. 3: 10)
O que queremos vos fazer entender amados, é que se alguém toma uma atitude, e para justificá-la, utiliza-se de argumentos da antiga aliança, como é o caso da ordenança do dízimo, é como se ele aceitasse circuncidar-se, trazendo novamente para si a escravidão da lei. É evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé. Ora, a lei não é da fé, mas: o que fizer estas coisas, por elas viverá. (Gl. 3: 11-12)
Amados, antes da lei dos mandamentos da antiga aliança, o pecado já estava no mundo, mas não lhe era atribuído como sendo causa da morte, porque não havia lei, e não havendo lei não há condenação. Mesmo assim a morte reinou de Adão até Moisés. (Rm. 5: 13-14) Então o Senhor enviou a lei através de Moisés aos filhos de Israel, para que o pecado aumentasse e assim ficasse exposto. Como diz o Apóstolo Paulo na sua carta aos romanos: Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse. Mas onde o pecado abundou, superabundou a graça, para que, assim como o pecado reinou pela morte, também a graça reinasse pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus Cristo Nosso Senhor. (Rm. 5: 20-21)
Reconhecemos que a lei é santa, e o mandamento santo e bom, mas não foi dada a nós que temos os nossos pecados perdoados pela graça do Senhor, para sermos filhos de Deus. Como diz a Escritura àqueles que são da igreja do Senhor: Pois o pecado não terá domínio sobre vós, porque não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça. (Rm. 6: 14), (Gl. 5: 18) Reconhecemos que a lei é boa, mas não se aplica aos servos do Senhor, como está escrito: Sabemos, porém, que a lei é boa, se alguém dela usa legitimamente, tendo em vista que a lei não é feita para o justo, mas para os transgressores e rebeldes, os irreverentes e pecadores, os ímpios e profanos, para os parricidas, matricidas e homicidas, para os devassos, os sodomitas, os roubadores de homens, os mentirosos, os perjuros, e para o que for contrário à sã doutrina, conforme o evangelho da glória do Deus bendito, o qual me foi confiado. (1Tm. 1: 8-11)
Falo como à entendidos, se alguém dentre vós utiliza-se da lei das ordenanças para exortar a alguém a cumpri-la, o tal não está contribuindo para que o pecado saia do mundo, mas para que ele fique mais forte, pois este foi o propósito da lei. Como está dito: Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. (1Co. 15: 56) Mas se alguém contribui para que o pecado se fortaleça, este tal, não está com Cristo, mas contrário a ele, ainda que fale em seu nome, o faz falsamente.
Certa vez aproximaram-se de Pedro os que cobravam impostos e perguntaram: Não paga o vosso Mestre as duas dracmas? Respondeu ele: sim. E, entrando em casa, Jesus se lhe antecipou, dizendo: Que te parece, Simão? De quem cobram os reis da terra os impostos, ou o tributo? Dos seus filhos, ou dos estranhos? Respondeu-lhe Pedro: Dos estranhos. Disse-lhe Jesus: Então os filhos estão isentos. (Mt. 17: 24-26) Ora, nisto o Senhor estava dando a entender que, assim como os reis da terra não cobravam impostos de seus filhos, também os filhos de Deus eram isentos do imposto. Tanto é que o Senhor não cobrou o dizimo de seus discípulos, nem seus discípulos cobraram da sua igreja. Mas, como a antiga aliança naqueles dias ainda estava em vigor, visto que só seria substituída dias depois, após a confirmação da nova aliança com o seu sangue na cruz, disse Ele: Mas, para que não os escandalizemos, vai ao mar, lança o anzol, tira o primeiro peixe que subir e, abrindo-lhe a boca, encontrarás um estáter. Toma-o, e dá o por mim e por ti. (Mt. 17: 27).
Hoje, porém irmãos, após a confirmação da nova aliança, não temos de nos preocupar com aqueles que se escandalizarem com a doutrina de Jesus Cristo, visto que o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê. (Rm. 10:4) Portanto, todo aquele que se utiliza desta prática na igreja de Deus, quer por ignorância ou por ganância, tanto o que cobra como e que paga dízimo, está contribuindo para uma obra má, não do Senhor. O que cobra; porque procura mostrar aos homens, que precisam fazer prova do Senhor, como foi proposto aos filhos de Israel, como diz a Escritura: Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos (Ml. 3: 10), para ganhar algo terreno que ele necessite. Indo desta forma, contra a instrução do Espírito Santo que diz: hoje se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações, como no dia da tentação no deserto, onde vossos pais me tentaram, me provaram, e viram por quarenta anos as minhas obras. Por isso me indignei contra esta geração, e disse: Estes sempre erram em seu coração, e não conheceram os meus caminhos. Assim jurei na minha ira: Não entrarão no meu descanso.
O que ensina aos servos do Senhor que devem pagar dízimo para receberem as bênçãos do céu está tornando iguais, os que são do ministério da justiça que são limpos pelo sangue de Jesus, com aqueles que foram participantes do ministério da condenação, invalidando assim a palavra do nosso Senhor Jesus Cristo que promete acrescentar todas as coisas necessárias para esta vida, àqueles que buscarem em primeiro lugar o reino de Deus e sua justiça. Todo aquele que paga o dízimo por imposição da lei, ainda está sobre a escravidão da lei. Mas os servos do Senhor que foram chamados segundo a sua graça contribui com a obra da sua congregação segundo a orientação do Espírito Santo dada através do apóstolo Paulo: Cada um contribua segundo propôs no seu coração, não com tristeza ou por necessidade, pois Deus ama ao que dá com alegria. E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda boa obra. (2Co. 9: 6-7).
Por fim irmãos cabem-nos vos alertar do que escreveu o Apóstolo: Cristo nos libertou para que sejamos de fato livres. Estai, pois, firmes e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da escravidão. Escutai! Eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. De novo testifico a todo homem que se deixa circuncidar, que está obrigado a cumprir toda a lei. Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído. (Gl. 5:1-5)

A guarda do sábado e a graça de Deus

A guarda do sábado era uma ordenança da lei para os filhos de Israel, e como outras, a sentença para quem a quebrasse era a morte por apedrejamento. (Nm. 15 32-36)
Mas o que diz a Escritura a respeito daqueles que buscam se justificar pela lei? Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de Justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Em ti serão benditas todas as nações. De sorte que os que são da fé são benditos com o crente Abraão. Todos aqueles que são das obras da lei estão debaixo da maldição, pois está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las.
É evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé. Ora, a lei não é da fé, mas: O que fizer estas coisas, por elas viverá.
Portanto, visto que a guarda do sábado é uma ordenança da lei que foi dada aos filhos de Israel através de Moisés, aqueles que a tem como doutrina na congregação, estão sob a maldição da lei. Pois qualquer que guardar toda a lei, mas tropeçar em um só ponto, torna-se culpado de todos. (Tg. 2: 10)
Amados, mas nós não somos da lei, porque fomos chamados por Jesus Cristo para sermos seus servos, e a nós, Ele deu autoridade de decidir o que fazer no sábado, quando diz: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado. Portanto, o Filho do homem até do sábado é senhor. (Mc. 2: 27-28) E pra mostrar que trabalhar no sábado não era pecado disse a um homem inválido que havia curado: Levanta-te! Toma a tua esteira, e anda. Aquele dia era sábado. (Jo. 5:8-9)
O apóstolo Paulo e Timóteo alertando os irmãos da igreja de Colossos, para que não aceitasse julgamento daqueles que queriam andar segundo a lei, diz: Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber ou por causa dos dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados. Estas são sombras das coisas futuras; a realidade, porém encontra-se em Cristo. (Cl. 2: 16-17)

A proibição do uso da bermuda pelo crente

Irmãos, esta é apenas mais uma invenção de Satanás para forçar aqueles que buscam se chegar a Deus a desistirem da jornada, ao colocar fardos muito pesados nos ombros daqueles que creram, dizendo que o Senhor disse, quando Ele não disse, contradizendo o que diz o Senhor Jesus: Vinde e a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Pois o meu jugo é suave e meu fardo é leve.
Certa vez, chegou um irmão na congregação onde ministro a Palavra de Deus, e conversando com ele, percebi que era temente a Deus, e contou-me que até para tomar banho não tirava a roupa, mas que de calça e camisa compridas tomava banho por temer perder a salvação. Vendo a sua situação e quão grande fardo, enganadores havia posto sobre seus ombros desnecessariamente, resolvi exortá-lo a respeito da Palavra, e mostrei-lhe a verdade no que diz respeito ao vestuário do cristão, ele creu e foi liberto, então saiu feliz porque o Senhor lhe tirara o fardo e agora poderia tomar o seu banho sem roupas.
Sabemos que o Senhor nunca ordenou a seus servos que cometesse pecado, quer seja na antiga aliança ou na nova aliança o pecado foi e é sempre para Deus uma abominação. Por isso vos declaro em nome do nosso Senhor Jesus, que isso que criaram é uma criação de homens, instruídos espiritualmente por Satanás. Pois no livro do Profeta Ezequiel diz Ele: Mas os sacerdotes levitas, os filhos de Zadoque, que guardaram a ordenança do meu santuário, quando os filhos de Israel se extraviaram de mim, chegar-se-ão a mim, para me oferecerem a gordura e o sangue. Diz o Senhor Deus. Eles entrarão no meu santuário, e se chegarão à minha mesa, para me servirem, e guardarão a minha ordenança. Quando entrarem pelas portas do átrio interior, estarão vestidos de veste de linho; não se porá lã sobre eles, quando servirem na porta do átrio interior, dentro do templo. Coifas de linho estarão sobre suas cabeças, e calções de linho sobre as suas coxas. Não se cingirão de coisa de alguma que os faça transpirar. (Ez. 44: 15-18)
Irmãos abri o vosso entendimento. Se o Senhor ordenou aos seus santos sacerdotes, aqueles que guardaram a ordenança do seu santuário ao chegar à sua mesa para lhe servir, que estivesse vestido de calções! Tornou-se agora um mandamento de Deus em pecado? Certamente que não. Mas alguns tem O tido como pecador para o seu próprio dano. Por isso diz o Senhor: Errais não conhecendo as Escrituras. (Mt. 22: 29)

A proibição do uso da barba na igreja

Algumas congregações que chamam Jesus Cristo de Senhor, no seu desconhecimento de Deus, chegam ao ponto de proibir aos seus membros de usarem barba, numa declaração clara, que não conhecem ao Senhor.
Certa vez, pela vontade de Deus estive visitando uma destas congregações. Na época, eu já tinha recebido o dom do Espírito e era pregador da Palavra.
No culto, passado o período de louvores, assume o pregador da noite. Logo começou a fazer a sua pregação. Este homem usou grande parte do tempo que lhe era concedido, falando contra bigode, dizia ele: Uma vez chegou um pregador na minha casa para pregar o evangelho, então eu olhei para ele e vi que usava bigode então eu disse pra ele: Primeiro tira o teu bigode. E assim prosseguiu com o seu discurso sobre o mesmo tema. Eu sabia que ele se referia a mim, porque me pareceu ser eu o único naquele local a usar bigode. Aborreci-me muito com a pregação daquele homem ao ponto de ao termino do culto e já na saída dirigir-me a um dos obreiros daquela congregação e perguntar: Por favor, o senhor sabe nas Escrituras onde fala contra o homem usar bigode? Porque na minha bíblia não encontrei. Então disse ele: é no livro de Coríntios. Então eu disse, mostre-me, por favor! Ele abriu a sua bíblia e disse está aqui. E lá estava escrito: Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonroso para o homem ter cabelos compridos? (1Co. 11: 14) Então eu disse-lhe: Está falando dos cabelos da cabeça do homem, e não do bigode, não é? O homem nada respondeu. Naquela mesma hora o Senhor os envergonhou. Pois manifestou um demônio numa mulher, e eles começaram e expulsá-lo, mas o demônio não saía, veio todos os que ali estavam acostumados a expulsar demônios e ele não saía. Como as horas avançavam resolveram mandar para casa os participantes do culto e fecharam as portas do templo deixando só uma pequena parte semi-aberta para saída dos últimos participantes. Continuaram a tentar expulsar o espírito maligno que estava manifestado naquela mulher. Como percebi que não havia resultado, também eu saí e fiquei fora, mas não fui embora. Quando vi que saia o casal cuja mulher estava possessa, percebi que o homem a levava abraçado, mas ela cambaleava muito, então os segui e ao me aproximar deles vi que o demônio ainda estava no corpo da mulher, falei com seu marido e expulsei o demônio, logo que foi liberta recobrou a sua consciência e andava normal.
Quando eu cheguei à congregação onde era pregador, no culto falei aos membros o acontecido, e a minha decisão de tirar o meu bigode que há anos era acostumado a usar.
A minha decisão foi tomada por amor ao evangelho do Senhor. Pois ainda que usar a barba ou bigode não fosse pecado, tirá-los também não era uma transgressão. Pelo que tirei o meu bigode para poder ter acesso às pessoas que ouviram àquela pregação e acreditaram ser da parte do Senhor, pois além do homem pregar a falsa doutrina, astutamente ainda instruía àquelas pessoas que só aceitasse pregação de alguém sem barba ou bigode. Então para àquelas pessoas o meu bigode se tornou um impedimento para eu falar do evangelho.
Irmãos, os filhos de Israel usavam barba (Lv. 12: 29) e (Lv. 19: 27); Arão, homem escolhido para sacerdote (Ex. 28:1) usava barba; (Sl. 133: 2) Também o profeta Ezequiel usou barba. (Ez. 5:1) Contudo nenhum destes homens sofreu algum tipo de repreensão da parte do Senhor. Também Jesus Cristo e seus discípulos nada comentaram a este respeito. Portanto, a doutrina é de homens que não conhecem a Deus.

Denúncia
(lojinha dentro dos templos)

Amados, nos dias atuais em que se aproxima o final dos tempos, Satanás tem convencido muitas pessoas a zombarem do Filho de Deus, e a trazerem sobre si mesmas a ira de Deus, ao contrariarem a sua vontade, quando transformam a casa de oração em casa de comércio. Pois assim diz as Santas Escrituras:
Ao chegarem a Jerusalém, Jesus entrou no templo, e começou a expulsar os que ali vendiam e compravam. Derrubou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas. Não permitia que alguém carregasse qualquer mercadoria pelo templo. E os ensinava dizendo: Não está escrito: A minha casa será chamada casa de oração para todas as nações? Mas vós a fizestes covil de ladrões. (Mc. 11: 15-17)
Tal como nos dias que Jesus esteve em Jerusalém, onde os Judeus transformaram o templo de Deus em covil de ladrões, também hoje homem tem se tornados abomináveis como àqueles, pois em muitos templos religiosos o que se vê são pessoas negociando, e isto dentro do templo. Ali se vendem: livros, CDs, dvds e quaisquer e outras mercadorias que lhe convém, isto acontece porque não há um líder naquele local que tenham recebido o Espírito do Senhor, pois se tivesse recebido, certamente não aceitaria por qualquer que fosse o pretexto, pois está escrito: Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje, e eternamente. (Hb. 13:Cool Logo todo aquele que recebe o Espírito do Senhor também age com o mesmo zelo, no que diz respeito às coisas santas.
Não vos deixeis levar pelos sinais e prodígio que esses homens possam fazer usando o nome do Senhor, pois a respeito destes, Ele próprio profetizou dizendo: Pois se levantarão falsos cristos, e falsos profetas, e farão sinais e prodígios, para enganar, se possível, até os próprios eleitos. Estai, pois, de sobreaviso; eu vos disse tudo de antemão. (13: 22-23)

A abominação está onde não deveria está

Irmãos, numa congregação cristã existe um local físico que se chama altar, este lugar costuma-se consagrar, para que dali o Senhor distribua o seu alimento espiritual através de seus servos às almas que ali congregam. Onde só é permitido subir homens e mulheres que tenham recebido o Espírito Santo e tenham sido consagrados para ministrar a palavra de Deus ou outro dom espiritual. Pois as pessoas que ali se reúnem estão em busca de ouvir algo da parte de Deus, que dê esperança e alegria as suas almas, e não da parte do mundo.
Certo dia me contou um irmão, que ouve um fato desagradável na sua congregação. Pois os irmãos estavam reunidos na casa de oração, quando autorizado pelo líder daquele lugar, subiu no altar alguém estranho à congregação dos santos, tratava-se de um homem da política em busca de votos.
Então um dos irmãos que ali se encontrava, perguntou ao importuno visitante: O senhor é pastor? Respondeu ele, não. Perguntou novamente: o senhor é evangelista? Respondeu ele, não. Mais uma vez perguntou: o senhor é profeta? O que teve mais uma resposta negativa. Então insistiu o irmão: o senhor é crente? O que ele respondeu, não. Com isso disse o irmão: Então o que o senhor está fazendo ai?
Amados, acontecimento como este que ilustramos, mostra claramente o desrespeito com que os homens têm tratado as coisas santas do Senhor. Quando alguém permite que o incrédulo suba no altar que é consagrado ao Senhor, este tal está permitindo que o descrente distribua mensagens anticristãs ao povo de Deus e confunda a mente dos que buscam conhecer ao Senhor. Pois tais homens com seu poder de persuasão conseguem convencer multidões a crerem nas suas mentiras, dizendo que os homens são capazes de resolver os problemas da sociedade através da política partidária, quando nós, os que estamos em Cristo, sabemos que os filhos das trevas nada podem fazer de bom, visto que seus corações são comandados pelo príncipe das trevas, não pelo Senhor.
Mas para aquele que insiste em acreditar no discurso do descrente, tem se tornado maldito diante de Nosso Deus, pois assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, que faz da carne o seu braço, e cujo coração se aparta do Senhor! (Jr. 17:5)
O desejo do meu coração é que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a consolação do Espírito Santo sejam com todos. Amem!

IGREJA DO SENHOR JESUS
(Evangelho da Graça)
Ministério do Espírito

Rua 309, Nº 145, Conj. S. Cristóvão - Fortaleza – Ceará – Brasil.
Email: alberto.tec.hosp@hotmail.
Voltar ao Topo Ir em baixo
visitante
. . .MEMBRO ESPECIAL
.   .   .MEMBRO ESPECIAL


Mensagens : 449
nascido em : 04/10/1955
inscrito em : 15/07/2011
Idade : 61
Localização : Ilhota SC

MensagemAssunto: Re: O LIVRINHO (As falsas doutrinas e o evangelho da graça)   Ter 29 Maio 2012, 09:16

Alberto meu amigo gostei dos escritos, mais me permita um comentario, na internet quanto mais abreviado os escritos melhor, ninguem é capaz de ler grandes testo, porque parece querer doutrinar.

A lei de DEUS é os 10 mandamentos, e não a lei de Moisés!
Na lei de Moisés tem 613 mandamentos e muitos deles indo contra a lei de DEUS, e JESUS disse eu não vim destruir a lei de DEUS e nem os proféta, mais cumprir as profecias: Amém

O sábado esta na lei de DEUS, não como idolatria, mais um dia para fazer fésta, para descansar, um dia santo por isso JESUS disse o sabado foi feito para o homem e não o contrario.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Assuero
organizadores
organizadores


RELIGIAO : Batista do Sétimo Dia.
Masculino Mensagens : 4194
nascido em : 20/01/1968
inscrito em : 12/07/2011
Idade : 48
Localização : Rio de janeiro

MensagemAssunto: Re: O LIVRINHO (As falsas doutrinas e o evangelho da graça)   Ter 29 Maio 2012, 10:44

Irmão Alberto,li seu post todinho;o irmão parece ter uma grande visão do Evangelho do nosso Senhor Jesus.Muito do que o irmão escreveu descreve a realidade de nossas igrejas.Mas o irmão comete um erro nessa parte:


A guarda do sábado e a graça de Deus

A guarda do sábado era uma ordenança da lei para os filhos de Israel, e como outras, a sentença para quem a quebrasse era a morte por apedrejamento. (Nm. 15 32-36)
Mas o que diz a Escritura a respeito daqueles que buscam se justificar pela lei? Ora, tendo a Escritura previsto que Deus havia de Justificar pela fé os gentios, anunciou primeiro o evangelho a Abraão, dizendo: Em ti serão benditas todas as nações. De sorte que os que são da fé são benditos com o crente Abraão. Todos aqueles que são das obras da lei estão debaixo da maldição, pois está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las.
É evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé. Ora, a lei não é da fé, mas: O que fizer estas coisas, por elas viverá.
Portanto, visto que a guarda do sábado é uma ordenança da lei que foi dada aos filhos de Israel através de Moisés, aqueles que a tem como doutrina na congregação, estão sob a maldição da lei. Pois qualquer que guardar toda a lei, mas tropeçar em um só ponto, torna-se culpado de todos. (Tg. 2: 10)
Amados, mas nós não somos da lei, porque fomos chamados por Jesus Cristo para sermos seus servos, e a nós, Ele deu autoridade de decidir o que fazer no sábado, quando diz: O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado. Portanto, o Filho do homem até do sábado é senhor. (Mc. 2: 27-28) E pra mostrar que trabalhar no sábado não era pecado disse a um homem inválido que havia curado: Levanta-te! Toma a tua esteira, e anda. Aquele dia era sábado. (Jo. 5:8-9)
O apóstolo Paulo e Timóteo alertando os irmãos da igreja de Colossos, para que não aceitasse julgamento daqueles que queriam andar segundo a lei, diz: Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber ou por causa dos dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados. Estas são sombras das coisas futuras; a realidade, porém encontra-se em Cristo. (Cl. 2: 16-17)


O irmão incorre em um velho erro de grande parte das denominações evangélicas,qual seja o de confundir lei de Moisés com a Gloriosa Lei de Deus,o Decálogo.no qual está inserido o mandamento que ordena a guarda do sábado como dia de repouso.
Embora a guarda do sétimo dia estivesse também inserido na lei de Moisés,era anterior à ela,pois como sabemos,a Lei de Deus espelha o Seu caráter e é eterna e imutável,como o Seu próprio caráter.

A guarda do sábado foi instituída no Èden,muito antes de existir qualquer judeu,tanto é que,diferente de todos os outros mandamentos,o quarto é o único que começa com um "Lembra-te"...ora,só se pode lembrar de uma instrução se ela houver sido passada anteriormente.Mesmo os israelitas,após 400 anos de cativeiro,ainda conheciam esse mandamento,veja:

22 E aconteceu que ao sexto dia colheram pão em dobro, dois ômeres para cada um; e todos os príncipes da congregação vieram, e contaram-no a Moisés.
23 E ele disse-lhes: Isto é o que o SENHOR tem dito: Amanhã é repouso, o santo sábado do SENHOR; o que quiserdes cozer no forno, cozei-o, e o que quiserdes cozer em água, cozei-o em água; e tudo o que sobejar, guardai para vós até amanhã.
24 E guardaram-no até o dia seguinte, como Moisés tinha ordenado; e não cheirou mal nem nele houve algum bicho.
25 Então disse Moisés: Comei-o hoje, porquanto hoje é o sábado do SENHOR; hoje não o achareis no campo.
26 Seis dias o colhereis, mas o sétimo dia é o sábado; nele não haverá.
27 E aconteceu ao sétimo dia, que alguns do povo saíram para colher, mas não o acharam.

Exôdo 16
E a censura de Moisés:
28 Então disse o SENHOR a Moisés: Até quando recusareis guardar os meus mandamentos e as minhas leis?

Observe que esse fato aconteceu antes da entrega física das tábuas da Lei,o que só se daria no capítulo 20 de Exôdo,mas o povo já a conhecia,porque ela sempre existiu...

O erro está em misturar as duas leis,porque a de Moisés foi encravada na cruz;a de Deus(Decálogo),continua em vigor,hoje e sempre(ver Isaías 66),amém...

-







-
REGRAS N° 1 E 4 DO FORUM SEMEADORES

1 - Este fórum se destina exclusivamente a debates acerca de ensinamentos bíblicos.

4 - O fórum se reserva o direito de excluir ou editar qualquer conteúdo que traga prejuízo a Palavra do Senhor, ou a uma pessoa ou entidade bem como ao próprio fórum, como palavras inadequadas , difamatórias , ou agressivas, assuntos ou títulos inadequados ou ofensivos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Alberto.
. . .MEMBRO ESPECIAL
.   .   .MEMBRO ESPECIAL


Masculino Mensagens : 2
nascido em : 31/08/1957
inscrito em : 16/02/2012
Idade : 59
Localização : Fortaleza - Ceará - Brasil

MensagemAssunto: Re: O LIVRINHO (As falsas doutrinas e o evangelho da graça)   Ter 29 Maio 2012, 12:57

Amados irmãos, permitam-me expor sobre o versículo citado pelo irmão a respeito de Jesus ter falado que não veio destruir a lei. O versículo é este: "Não penseis que vim revogar(destruir) a Lei ou os Profetas; Não vim para revogar, vim para cumprir. (Mt. 5:17). Isto que disseste é verdade, condudo também é verdade que ele cumpriu todas as coisas e entre elas toda a Lei dos mandamentos, tirando do nosso meio, nós os que temos Jesus Cristo como nosso Senhor, como está escrito:...tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, cravando-o na cruz; (Cl.2:14). Portanto, Jesus não destruiu a Lei e os Profetas como afirmou, más cumpriu como também afirmou. E após ter cumprido toda a determinação de Deus Pai disse: Está consumado. Ali Ele não destruiu a Antiga Aliança, mas substituiu por uma Nova Aliança, porque esta era a vontade do Senhor, tal como disse através do profeta Jeremias: "Eis aí vêm, diz o Senhor, em que firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá" (Jr. 31: 31-33).
Voltar ao Topo Ir em baixo
Assuero
organizadores
organizadores


RELIGIAO : Batista do Sétimo Dia.
Masculino Mensagens : 4194
nascido em : 20/01/1968
inscrito em : 12/07/2011
Idade : 48
Localização : Rio de janeiro

MensagemAssunto: Re: O LIVRINHO (As falsas doutrinas e o evangelho da graça)   Ter 29 Maio 2012, 13:42

Alberto. escreveu:
Amados irmãos, permitam-me expor sobre o versículo citado pelo irmão a respeito de Jesus ter falado que não veio destruir a lei. O versículo é este: "Não penseis que vim revogar(destruir) a Lei ou os Profetas; Não vim para revogar, vim para cumprir. (Mt. 5:17). Isto que disseste é verdade, condudo também é verdade que ele cumpriu todas as coisas e entre elas toda a Lei dos mandamentos, tirando do nosso meio, nós os que temos Jesus Cristo como nosso Senhor, como está escrito:...tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, cravando-o na cruz; (Cl.2:14). Portanto, Jesus não destruiu a Lei e os Profetas como afirmou, más cumpriu como também afirmou. E após ter cumprido toda a determinação de Deus Pai disse: Está consumado. Ali Ele não destruiu a Antiga Aliança, mas substituiu por uma Nova Aliança, porque esta era a vontade do Senhor, tal como disse através do profeta Jeremias: "Eis aí vêm, diz o Senhor, em que firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá" (Jr. 31: 31-33).

Irmão,no versículo de Colossensses,citado pelo irmão,veja que Paulo deixa bem explícito que tipo de lei foi encravada na cruz:
"...tendo cancelado o escrito da dívida,que era contra nós E QUE CONSTAVA DE ORDENANÇAS,o qual nos era prejudicial,removeu-o inteiramente,encravando-o na cruz;..."

A lei de Moisés,a lei das ordenanças(613)...

Quanto a Nova Aliança,o irmão esqueceu de postar o restante do verso de Jeremias,que explica como Deus iria colocar a Sua Gloriosa Lei(Decálogo),dentro dos corações dos crentes:


33 Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o SENHOR: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.


Portanto,na Nova Aliança,o cristão não precisa mais olhar as tábuas da Lei,ou que o sacerdote a leia para ele,a cada 7 anos;o verdadeiro cristão tem essas Leis INSCRITAS EM SEU CORAÇÃO E SUA MENTE...

O mandamento do sábado continua em vigor,inscrito,como os outros 9,na mente dos servos de Deus.

-







-
REGRAS N° 1 E 4 DO FORUM SEMEADORES

1 - Este fórum se destina exclusivamente a debates acerca de ensinamentos bíblicos.

4 - O fórum se reserva o direito de excluir ou editar qualquer conteúdo que traga prejuízo a Palavra do Senhor, ou a uma pessoa ou entidade bem como ao próprio fórum, como palavras inadequadas , difamatórias , ou agressivas, assuntos ou títulos inadequados ou ofensivos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
visitante
. . .MEMBRO ESPECIAL
.   .   .MEMBRO ESPECIAL


Mensagens : 449
nascido em : 04/10/1955
inscrito em : 15/07/2011
Idade : 61
Localização : Ilhota SC

MensagemAssunto: Re: O LIVRINHO (As falsas doutrinas e o evangelho da graça)   Ter 29 Maio 2012, 14:35

Irmão Alberto o que eu escrevi não foi para criticar o irmão, mais para acrescentar.

Alberto eu fico feliz por poder ler os escritos de pessoas com grande conhecimento como você.

Um abração
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: O LIVRINHO (As falsas doutrinas e o evangelho da graça)   Hoje à(s) 07:34

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O LIVRINHO (As falsas doutrinas e o evangelho da graça)
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» O LIVRINHO (As falsas doutrinas e o evangelho da graça)
» Falsas doutrinas que contaminaram nos últimos anos as "igrejas" ditas cristãs
» Doutrinas Verdadeiras e Doutrinas Falsas
» O PODER DO EVANGELHO. (At.20.24). O Evangelho da Graça de Deus. Aula n°2
» Nome de Cristo e o Evangelho denegridos no orkut

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
SEMEADORES DA PALAVRA DE DEUS - A PORTA DE DEUS PARA A SALVAÇÃO. :: FÓRUM ESTUDOS BÍBLICOS-
Ir para: