SEMEADORES DA PALAVRA DE DEUS - A PORTA DE DEUS PARA A SALVAÇÃO.


 
InícioPortalRegistrar-seLogin
Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. ” Gálatas 2:20
ESCOLA BÍBLICA
ORAÇÕES
Quem está conectado
20 usuários online :: 2 usuários cadastrados, Nenhum Invisível e 18 Visitantes :: 2 Motores de busca

B.V., Henrique

O recorde de usuários online foi de 183 em Ter 19 Nov 2013, 18:07
Últimos assuntos
» Deus é quem criou o diabo ?(mas sobre predestinação)
Hoje à(s) 22:13 por Henrique

»  Fiquei sobremodo alegre pela vinda de irmãos e pelo seu testemunho da tua verdade... DEVOCIONAL
Hoje à(s) 09:43 por Henrique

» 30 LOUVORES QUE EDIFICAM PARA OUVIR EM 2017 - As Melhores Músicas Gospel
Ontem à(s) 20:28 por Paulo Cezar

» Musicas Gospel para ouvir , Orar e Meditar.
Ontem à(s) 20:27 por Paulo Cezar

» VERSICULO DO DIA
Ontem à(s) 16:27 por Paulo Cezar

» Minuto com Deus!!!
Ontem à(s) 09:52 por Paulo Cezar

» FILHOS NUMA TERRA DISTANTE Lc. 15.11-16
Qua 30 Nov 2016, 12:29 por guganic

» Pastora Sarah Sheeva “zera” as redes sociais com post sobre seus “10 anos sem ver aquilo maravilhoso
Qua 30 Nov 2016, 08:23 por Henrique

» Frase do dia.
Ter 29 Nov 2016, 20:32 por M.Rogério

» O mal uso da internet
Ter 29 Nov 2016, 20:27 por M.Rogério

» O Evangelho não é algo a ser pregado somente aos escolhidos, mas a TODOS os homens.
Ter 29 Nov 2016, 19:59 por M.Rogério

» Dom de línguas
Ter 29 Nov 2016, 10:37 por salomão

» ESCOLA BÍBLICA, PRIMEIRA PARTE, NOVEMBRO A VIDA, A MORTE E O DEPOIS DA MORTE DO CRISTÃO.
Ter 29 Nov 2016, 07:53 por Henrique

» Escola Bíblica, Novembro. Segunda parte. A VIDA, A MORTE E O DEPOIS DA MORTE DO CRISTÃO
Ter 29 Nov 2016, 07:51 por Henrique

» A VIDA, A MORTE E O DEPOIS DA MORTE DO CRISTÃO. Comentários
Ter 29 Nov 2016, 07:40 por Henrique

»  Escola Bíblica, Novembro. Terceira parte. A VIDA, A MORTE E O DEPOIS DA MORTE DO CRISTÃO
Ter 29 Nov 2016, 07:34 por Henrique

» A origem do dia de sábado
Sex 25 Nov 2016, 20:35 por salomão

» A VERDADEIRA LIBERDADE - Para proclamar libertação aos cativos. (Lucas 4.18) DEVOCIONAL
Sex 25 Nov 2016, 10:22 por Henrique

» O ÚNICO MANDAMENTO (Jo. 2.1-11) ... DE MARIA.
Qui 24 Nov 2016, 15:53 por guganic

» SIMEÃO E A PROFUNDA AFLIÇÃO DE MARIA Lc. 2.25-35
Qui 24 Nov 2016, 15:42 por guganic

» Evangelista Mauro Ferreira , Mensagens aos jovens
Qui 24 Nov 2016, 15:10 por elizeu crepaldi

» Que a Biblia diz sobre batismo pelos mortos.
Qua 23 Nov 2016, 21:20 por Henrique

» Papa estende a todos os padres poder de perdoar aborto
Qua 23 Nov 2016, 21:09 por Henrique

»  O ALFA E ÔMEGA: O PRINCÍPIO E O FIM. Ap.1.8.
Qua 23 Nov 2016, 11:28 por jairo nuness

Navegação
______ _______ ______ ______ _______ _______ ______ _______ ______ ________
Choose Your Language
English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
BÍBLIA EM ÁUDIO

Fórum grátis

DICIONÁRIO BÍBLICO



FIQUE POR DENTRO


imprimir uma pagina


Compartilhe | 
 

 *reflexão*A natureza de CRISTO

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
M.Rogério
. . .MEMBRO ESPECIAL
.   .   .MEMBRO ESPECIAL


RELIGIAO : Cristianismo
Masculino Mensagens : 3289
nascido em : 19/09/1972
inscrito em : 01/09/2011
Idade : 44
Localização : Anápolis

MensagemAssunto: *reflexão*A natureza de CRISTO    Ter 12 Ago 2014, 18:59

1. Introdução

Que tipo de natureza humana possuía Jesus? Pecaminosa ou sem pecado? 

Entre os pesquisadores que procuram responder a essa pergunta, são verificadas duas posições básicas:

1) a posição pré-lapsariana (do latim lapsus, que significa errar) - (anterior ao erro)

2) a posição pós-lapsariana -- (posterior ao erro)

2. Análise da Primeira Posição (pré-lapsariana)

Os pesquisadores da primeira posição defendem que Jesus possuía uma natureza humana semelhante à que Adão possuía antes da queda, ou seja, uma natureza humana sem pecado.

2.1. Conclusões:

1) Jesus foi, portanto, totalmente isento de pecado. 
2) Nasceu dessa maneira e jamais escolheu pecar
3) Sua vida foi perfeita em todos os caminhos.
4) Em virtude de ser perfeito e absolutamente isento de pecado, habilitou-se a ser nosso substituto no calvário, morrendo para pagar o preço requerido para nosso resgate.
5) Levou sobre si nossos pecados e, em troca, nos deu sua perfeita Justiça. 

2.2. Conseqüência
Quando deus olha para nós, não mais vê fraquezas e defeitos, mas apenas a vida perfeita de Cristo a nos envolver.

2.3. Problemas
O grande problema na visão pré-lapsariana, é que Jesus tinha a vantagem de já ser perfeito, e, assim, não poderia ser nosso exemplo.

3. Análise da Segunda Posição (pós-lapsariana)
Os pesquisadores da segunda posição (pós-lapsariana) defendem que Jesus possuía uma natureza semelhante a de Adão, mas depois da queda.

3.1. Conclusões
1) Jesus tinha uma natureza humana pecaminosa.
2) Era necessário que Jesus tivesse uma natureza pecaminosa, começando justamente no mesmo ponto onde nós começamos. 
3) Mostrando que Ele poderia ser nosso verdadeiro exemplo e mostra-nos que é possível vencer o pecado e viver uma vida de total obediência.

3.2. Problemas:
1) Se Jesus possuía uma natureza pecaminosa, obviamente fazia parte da raça humana caída necessitada de Redenção.
2) Se ele necessitava ser redimido, não poderia ser nosso Redentor. As pessoas nascem culpadas e perdidas, ou tornam-se perdidas e culpadas somente quando escolhem pecar? 

3.3. Perfeccionismo
A principal razão para se acreditar e ensinar que Cristo teve uma natureza humana pecaminosa é o conceito de perfeccionismo sem pecado.

Há pessoas que crêem e ensinam que deus terá uma geração final de pessoas que provarão ao universo ser possível aos seres humanos guardarem a lei de Deus.

A sugestão é que nós somos essa geração, e devemos trabalhar diligentemente par alcançar um nível de total vitória sobre o pecado.

3..3.1. Réplica
A réplica usualmente dada a essa argumentação aborda dois aspectos:

1) Jesus já providenciou a evidência, a única evidência de que o universo necessita, de que a Lei de Deus pode ser guardada por seres humanos.

Totalmente homem, ele mesmo cumpriu perfeitamente os requisitos da Lei. 

Portanto, não existem dúvidas nos seres criados quanto à justiça e honestidade de Deus em requerer obediência.

2) Se Deus quer perfeita obediência de todos aqueles que, como uma parte da última geração, devem estar preparados para se encontrar com Ele, é extremamente desencorajador não ter havido ninguém na história, exceto Jesus, que tenha alcançado um padrão perfeito.

4. Como ser Perfeito
É verdade que Deus requer perfeita obediência à sua Lei. Ellen White afirma: Deus requer inteira obediência a todos os seus Mandamentos. Ele requer agora, como sempre, perfeita justiça como o único título para o Céu. Mas só existe um caminho para cumprirmos esse requerimento: aceitação de Jesus como nosso Salvador. "pela Graça sois salvos, mediante a Fé; e isso não vem de vós, é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Efésios. 2:8 e 9.

Segundo Ellen White no "momento em que o pecador crê em Cristo, ele aparece à vista de Deus sem condenação, pois a justiça de Cristo lhe é imputada". 

Somos então vistos por Deus não simplesmente como pecadores, mas como se nunca houvéssemos cometido pecado. "O caráter de Cristo substitui o seu caráter e você é aceito por Deus como se jamais tivesse pecado".

Portanto, não necessitamos temer o julgamento; pois Deus não olha para o que temos realizado, mas o que Jesus tem feito e creditado a nosso favor. 

Segundo Ellen White "pela fé em seu sangue, todos podem ser aperfeiçoados em Cristo Jesus. Graças a Deus por não estarmos lidando com impossibilidades. Podemos pretender santificação. podemos fruir o favor de Deus. Não devemos estar ansiosos acerca do que Cristo e Deus pensam de nós, mas do que Deus pensa de Cristo, nosso substituto".

5. Idéias Diferentes
Qual a razão de existirem dois campos opostos, a respeito da natureza de Cristo? Porque a confusão? João 1:1 e 14
Jesus realmente tornou-se um ser humano.

A Bíblia parece defini-lo como sendo sem pecado. João 14:30; I Pedro 1:19; Hebreus 7:26.

Embora a Bíblia se demonstre clara a respeito da inocência de cristo, algumas referências de E. White parecem apoiar a visão pré-lapsariana da Sua natureza.

"Não devemos ter dúvidas acerca da perfeita ausência de pecado na natureza humana de cristo. Não devemos ter dúvidas acerca da perfeita ausência de pecado na natureza humana de Cristo".
"Devemos ser cuidadosos, extremamente cuidadosos sobre como tratamos a natureza humana de cristo. Não devemos apresentá-lO diante do povo como um homem propenso ao pecado. Ele é o segundo Adão. O primeiro Adão foi criado puro, inocente, sem uma mancha de pecado sobre si; era a imagem de Deus. Poderia falhar, e falhou ao transgredir. Em virtude do pecado, sua posteridade nasceu com propensões inerentes para a desobediência. Mas Jesus Cristo foi o unigênito filho de Deus. Ele tomou sobre si a natureza humana, e foi tentado em tudo, como a natureza humana é tentada. Poderia haver pecado; poderia ter falhado, mas em nenhum momento houve nEle qualquer tendência má. Ele foi assaltado por tentações, no deserto, da mesma forma como Adão foi tentado no Éden.

6. A Tentação de Cristo (Hebreus 4:15)
"Foi tentado tão intensamente como nós o somos. As seduções resistidas por Cristo são as mesmas que nós achamos tão difícil enfrentar. Elas o persuadiram num grau tão elevado quanto o Seu caráter é superior ao nosso".

"Imaginemos a tentação de usar seu poder divino para proteger-se e satisfazer suas necessidades. Quão grande deve ter sido a tentação de fugir da cruz! Nenhum de nós foi tão severamente tentado".

7. Pré-lapsariana ou Pós-lapsariana

7.1. Sugestões Pré-lapsarianas de E.White
"Jamais, por qualquer maneira deixemos a mais leve impressão nas mentes humanas de qualquer mancha, ou inclinação para corrupção, repousou sobre Cristo, ou Ele produziu corrupção..., mas seja cada ser humano advertido do perigo de fazer de Cristo um ser humano como qualquer um de nós, pois isso não pode ser".

"Na plenitude do tempo Ele foi revelado na forma humana. Assumiu Sua posição como cabeça da humanidade por tomar a natureza, não a pecaminosidade do homem".

"Cristo não possui a mesma deslealdade pecaminosa, corrupta e decaída que nós possuímos, pois então ele não poderia ser um sacrifício perfeito".

Conclusão:
1) Não podemos alimentar dúvidas acerca da perfeita inocência da natureza humana de Jesus, e que ele possuía a natureza de Adão antes da queda.

7.2. Sugestões Pós-lapsarianas de E.White

"Tomando sobre si a natureza humana em seu estado decaído, cristo não participou, no mínimo que fosse, do seu pecado. Era sujeito às debilidades e fraquezas que atribulam o homem".

"Ele tomou sobre si a natureza humana, falha, sofredora, degradada e definhada pelo pecado."

"Cristo aceitou a humanidade quando a raça humana encontrava-se debilitada por quatro mil anos de pecado. Como cada filho de Adão, Ele aceitou os resultados do trabalho da grande lei da hereditariedade. "

"Não foi uma imitação de humanidade que Cristo tomou sobre si. Ele tomou a natureza humana e viveu a natureza humana."

...Ele tomou nossas enfermidades. Ele não apenas se fez carne, mas foi feito à semelhança de carne pecaminosa."

Como podemos compreender os dois tipos de declarações de E. White que parecem opostos entre si?

8. Solução
É possível que quando E. White se referia à natureza humana, sem pecado, de Cristo, ela estivesse falando de sua natureza espiritual, isto é, seu relacionamento com Deus o Pai?

Ele não nasceu com traços de culpa ou más tendências, como um herdeiro de Adão. Nasceu num estado puro, imaculado e sem pecado, tal como Adão era quando saiu do criador.

Não seria o caso, ainda, de que quando ela falava da natureza humana, "pecaminosa" , de Jesus, ela estivesse se referindo à sua condição física, ou seja, fraquezas físicas que são resultado da devastação causada pelo pecado na raça humana? Ele sentiu cansaço, dor, fome e sede. Necessitou comer e repousar. Desejou simpatia e divina assistência. Suas condições físicas eram as mesmas de Adão após a queda. Na realidade, eram muito piores, pois ele juntou-se à raça humana depois que esta tinha enfraquecido 4 mil anos, desde a entrada do pecado no mundo.

"Ele tomou sobre Sua natureza sem pecado, nossa natureza pecaminosa, para que pudesse saber como socorrer aqueles que são tentados."

"A natureza humana de Cristo era semelhante à nossa, e o sofrimento semelhança foi mais agudamente sentido por ele; por sua natureza espiritual estava livre de cada mancha de pecado. Portanto, seu desejo para remover o sofrimento era mais forte que seres humanos podem experimentar. "

"Por quatro mil anos a raça tem decrescido em força física, em poder mental, e valor moral; e Cristo tomou sobre si as enfermidades da humanidade degenerada."

8.1. Inocência e Propensão

Tim Poirier, do White Estate, numa monografia intitulada A Comparison of the Christlogy from E. White and Henry Melvil, trata desse assunto. Ele demonstra como E. White deve ter usado algumas terminologias de Melvil ao expressar sua visão da natureza humana de Cristo.

Henry foi um pregador inglês popular no século dezenove, um contemporâneo de E. White. Henry Melvill identifica duas conseqüências primárias da queda da raça humana:

1)Fraquezas inocentes: dor, fadiga, fome, sede, tristeza e morte (física). Tais fatos são conseqüências da culpa, mas são livres de culpa. o pecado produz dor, mas dor não é pecado.

2) Tendências pecaminosas: propensões humanas e inclinações para o pecado. Adão não possuía nem fraquezas inocentes nem tendências pecaminosas, mas após a queda passou a ter ambas. Cristo, no entanto, tomou sobre si as fraquezas inocentes, mas não as tendências pecaminosas.

9. Conclusão
A natureza humana de Cristo não era nem pré-lapsariana nem pós-lapsariana, mas ambas. Ele era perfeitamente sem pecado, como era Adão antes da queda (natureza espiritual). Mas Ele teve as fraquezas inocentes que todos nós possuímos, como resultado da queda. A isso podemos nos referir como sendo Sua condição humana.


Créditos;

Levi de Paula Tavares
levipt@yahoo.com.br

-







-
"Somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas" (Efésios 2:10). 
Voltar ao Topo Ir em baixo
 
*reflexão*A natureza de CRISTO
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Ataques à Divindade de Cristo NVI X Fiel
» Passagens no VT que falam do Senhor Jesus Cristo...
» jesus cristo homem - José Luis De Jesús Miranda
» O Salvador Jesus Cristo Filho Do Deus Vivo
» O Grande mistério da Natureza - A Origem de tudo que existe.

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
SEMEADORES DA PALAVRA DE DEUS - A PORTA DE DEUS PARA A SALVAÇÃO. :: FÓRUM DOS AMIGOS E ASSUNTOS GERAIS.-
Ir para: